quinta-feira, 15 de abril de 2010

Remember Me (2010)

"Live in the moments."

Ao
ver o trailer, considera-se logo que o filme é transbordado de clichés: o rapaz perturbado e rebelde que de repente se apaixona, o pai que só liga ao trabalho e não aos filhos, o melhor amigo que tem a sua função cómica no filme, a rapariga que vê a morte da sua mãe em criança, a irmã que é talentosa mas incompreendida e o facto do filme ser uma comédia romântica.Mas não, este filme não é uma comédia romântica. E não, este filme não é só para miúdas tolinhas que idolatram o Robert Pattison e a saga Twilight. Sim, é um filme que merece uma visualização do público em geral.

Robert Pattison interpreta um rapaz descrente e perdido após a morte do seu irmão, que culminou na separação dos seus pais. Revoltado com o mundo e consigo mesmo, vive um relacionamento conflituoso com o seu pai (Pierce Brosnan), que não o entende e com quem não consegue comunicar. A única "saída" de Tyler é mesmo a sua irmã Caroline (Ruby Jerins), com quem tem um relacionamento forte e inquebrável. Tyler conhece Ally (Emilie de Ravin), uma rapariga completamente diferente e que soube lidar com os seus próprios traumas. Usa assim o sofrimento de forma a perspectivar o mundo, vivendo cada dia como se fosse, de todos, o mais importante. Mas quando o amor cresce en
tre os dois e parece determinado a quebrar todas as defesas, terríveis segredos familiares irão separá-los.

O filme foi realizado por Allen Coulter, e devo dizer que a realização não se destaca. Não estava à espera de muito, sinceramente, e Remember Me foi surpreendentemente razoável.
As personagens personificam a sociedade moribunda que nos rodeia. O filme é mais sobre a tragédia de perda familiar do que propriamente romance, apesar de este último imperar em muitas cenas.
Remember Me ensina-nos uma lição sobre relações, e como não as devemos ignorar,
por mais difícil que seja. É tocante, e segue os nossos pensamentos muito após o decorrer do filme.Este transborda emoção, é interessante, provocador, duro, agressivo, poderoso, romântico e muito surpreendente.
O argumento é forte, tem uma premissa que se desenrola muito bem. Faz-nos ligar com os aspectos da nossa realidade.No entanto, tem o seu lado negativo. Consegue ser um pouco aborrecido em partes, a acção parece que ocorre lentamente. O filme é longo, sim dá-se mesmo pelo tempo,e a história parece repetida e feita muitas vezes, o que se pode tornar previsível. Tem clichés que já estão gastos, como já mencionei na introdução. Apesar de dramático, tem a sua componente cómica, piadas ali e acolá, apesar de algumas
serem pouco sucedidas.

Se algumas pessoas fogem deste filme por ser relacionado com o “Edward Cullen”, não se preocupem: não há sequer indícios do vampiro adolescente neste filme. A tortura a que pensam que vão ser submetidos, é nula e inexistente. Robert Pattison destacou-se. Nas cenas mais emotivas, conseguiu transpôr e transmitir sentimentos puros e agressivos para o público. Fez-nos sentir tristes, felizes, irritados, e surpreendidos no decorrer do filme, exactamente como ele deveria fazer. No entanto, Robert Pattison tem os seus irremediáveis erros. Achei que houve partes forçadas. As cenas entre os dois pombinhos conseguiam por vezes tornar-se um pouco irriantes.Emile De Ravin esteve bem, mas não se destacou, excepto nas cenas emotivas. Quem mais me desiludiu foram Pierce Brosnan e Chris Cooper, pai de Tyler e pai de Ally respectivamente. Apesar da emoção, esperava mais classe e experiência. O desempenho dos actores traz ao filme uma emoção credível, no entanto, falham em alguns aspectos. A revelação do filme foi mesmo Ruby Jerins, que desempenhou a irmã de Tyler, Caroline. Cada vez que aparece no filme, torna-se a alma dele e dá uma performance super poderosa e credível. Foi, de longe, o melhor desempenho do filme.

Brilhante é o final super imprevisível e que todos os críticos acharam ofensivo e forçado. Qual ofensivo...muito forçado? Talvez. Desesperado por avançar com a acção do filme? Talvez. Mas não acho ofensivo, não, é um filme! Remember Me vale imenso pelo final, e que vos faz pensar, literalmente. Por favor, não leiam spoilers antes de irem ver o filme, garanto-vos que estragar-vos-á a respectiva visualização.
Não é uma obra-prima, nem um clássico, e não é um filme excelente. Apesar das críticas não serem as mais positivas por aí, também não são as mais negativas. Considero que devem dar uma hipótese ao filme, e que o devem ver. O filme tocar-vos-á, e lembrar-se-ão dele.


EXAME

Realização: 7/10
Actores: 7.5/10
Argumento/Enredo: 8/10
Duração/Conteúdo: 5/10
Transmissão da ideia principal do filme para o espectador: 7/10

Média global: 6.9/10

Crítica feita por Joana Queiroz


Informação

Título em português: Lembra-te de Mim
Título Original: Remember Me
Ano: 2010
Realização: Allan Coulter
Actores: Robert Pattison, Emile de Ravin, Pierce Brosnan, Chris Cooper

Trailer do filme
:


1 comentário: