sábado, 24 de abril de 2010

Pulp Fiction (1994)

Dizer que "Pulp Fiction" é um filme brilhante, é dizer pouco.

Quentin Tarantino é indiscutivelmente dos melhores realizadores de sempre, tendo realizado nos anos 90 filmes que hoje são clássicos inegáveis. Um desses filmes é "Pulp Fiction". Tarantino é um realizador de prestígio que em 1994 alcançou o auge, pois "Pulp Fiction" foi nomeado para sete Óscares, ganhando, no entanto, apenas um (a concorrência era fortíssima - Forrest Gump). Mas só o facto de ter sido reconhecido pela Academia, já diz bastante sobre a qualidade deste filme. Na minha opinião, não é o melhor do realizador; mas isso não é um defeito, visto que Tarantino não tem nenhum filme mau, é impressionante.

"Pulp Fiction" possuiu a narrativa não linear tão característica de Tarantino, mas isso em nada prejudica a originalidade e criatividade do argumento ou a dificuldade em percebê-lo. Aliás, o filme possui diversos elementos que o fazem bom, e tornam Quentin Tarantino num excelente e indiscutível realizador/argumentista: os diálogos tão bem construídos e engraçados (o humor negro é com certeza uma característica permanente dos filmes de Tarantino), os planos de câmara estão incrivelmente bem conseguidos (Tarantino concretiza as suas ideias espectacularmente), para além de complementar as suas cenas de forma magnífica com uma banda sonora absolutamente fantástica, que é outra característica particular sempre presente nos seus filmes (Temas como Girl, You'll be a Woman Soon", "Dark Night", "Jungle Boogie", "Comanche", "Flowers on the Wall", "Stay Together" são inesquecíveis!).
Algo de bastante interessante relativamente a Pulp Fiction é o facto de haver cenas em que se cria momentos de atmosfera leve que rapidamente são contrapostas com cenas de extrema intensidade e violência. O filme começa bem, continua bem, e acaba bem.


O estilo narrativo particular pode causar algumas dificuldades a alguns espectadores, mas sinto mesmo que é algo de pequena importância, e aliás, é algo que só benefecia o filme (apesar de algumas pessoas considerarem que serve para realçar os pontos fracos do filme). O filme parece não ter qualquer sentido de início, mas esse sentido é nos transmitido ao longo do filme. Tarantino não tem qualquer medo em arriscar, é isso que me faz apreciar imenso os seus filmes. A melhor maneira de descrever Pulp Fiction é simplesmente dizer que se trata de uma lista de histórias não cronológicas com muita acção e humor á mistura.

Actores de luxo é o que se pode encontrar! Antes de mais, há a sensação inicial de que não se consegue gostar de nenhuma personagem, mas rapidamente isso desaparece, não só com a genialidade dos diálogos, mas também através da interpretação dos actores. John Travolta e Samuel L. Jackson estão, sem dúvida, um espectáculo. A performance de Uma Thurman também é bastante boa, apesar de não contarmos muito com ela. Tal como Harvey Keitel, o "screen time" foi pouco, mas a sua interpretaçaõ foi boa, como esperado.

Em suma, "Pulp Fiction" é O filme. O filme que revolucionou o cinema e inspirou muitos outros. A primeira vez que o vi, soube de imediato que seria a primeira de muitas visualizações. O certo é que já vi bastantes vezes e nunca me cansei. Isso significa alguma coisa. Sem dúvida que consegue captivar como muito poucos conseguem.
Imperdível!



EXAME 


Realização: 10/10

Actores: 9/10

Argumento/Enredo: 9/10
Duração/Conteúdo: 8/10
Banda sonora: 9/10
Transmissão da ideia principal do filme para o espectador: 8/10

Média Global: 8.7/10

Crítica feita por Sara Queiroz



Informação 


Título em português: Pulp Fiction - Tempo de violência (BR)

Título Original: Pulp Fiction

Ano: 1994
Realização: Quentin Tarantino
Actores: Uma Thurman, John Travolta, Samuel L. Jackson, Tim Roth


Trailer do filme:


2 comentários:

  1. Filme fantástico, como é de esperar do Quentin Tarantino; Travolta e Samuel L. Jackson dão um show, aliás todos dão show em suas apresetações.

    ResponderEliminar