sábado, 21 de maio de 2011

Pirates of the Caribbean - On Stranger Tides (2011)

Acabadinha de chegar do cinema. É nessa condição que prefiro escrever as minhas críticas, quando ainda tenho as minhas ideias bem frescas na cabeça. Antes demais, não é segredo que detinha algumas expectativas em relação a Pirates of the Caribbean - On Stranger Tides. Não só se trata de Johnny Depp, mas também estava curiosa relativamente ao quão melhor ou pior este filme poderia ser em relação ao seu antecessor. Adianto já a boa notícia: É sem dúvida melhor que "At World's End", apesar de não ter o mesmo nível em termos visuais. Não é um filme que se destaque dos outros visualmente, mesmo que competente nesse aspecto. Com a realização de Rob Marshall, realizador que veio substituir Gore Verbinski, responsável pelos três primeiros filmes, o mesmo acontece: é competesubtituir Gore Verbinski, responsável pelos três filmes, o mesmo acontece: é competente mas não se destaca, até atrevo a dizer ligeiramente aborrecido. E também não percebi a sua necessidade de estender tanto o filme, acaba por ser doloroso termos de esperar tanto tempo por cenas óptimas e apelativas.

Em primeiro lugar senti que me deparava com um "reboot" da saga. O quarto filme desta série introduz um novo capítulo, completamente diferente do que nos tinha sido demonstrado anteriormente. Ora quando por vezes isso poderá parecer positivo, neste caso não o foi, pois esta mudança não trouxe qualquer evolução, mas antes assiste-se a um retrocesso. Dou exemplos: Jack Sparrow aparece sem navio como se nada tivesse acontecido, e embora posteriormente isso seja explicado, não foi uma explicação que me tenha satisfeito. E depois há a tal expedição em busca da fonte da juventude, que estranhamente nunca foi mencionada na trilogia. Achei apenas esse pormenor interessante, visto que era aparentemente um objectivo de vida de Jack Sparrow... Achei forçado simplesmente. Não obstante estes buracos no argumento, é um filme que não deixa de ter os seus grandes momentos de entre
tenimento. E a história não deixa de ser consistente, apesar de considerar pouco inovadora... A sensação de "mais do mesmo" é absolutamente constante. Apenas divergem algumas personagens e a localização dos sítios, mas substancialmente a história é bastante limitada. No entanto, uma interessante adição foi sem dúvida a introdução das sereias, quem diria que poderiam ser tão mortíferas? O certo é que são as protagonistas da melhor cena de acção do filme. Mas sinceramente já não se fazem vilões como o Davy Jones! Esse sim é que devia ser categorizado como o pirata mais temido.

Digo isto sem querer descredibilizar o excelente trabalho de Ian McShane, pois interpreta Barba Negra vigorosamente. Porém, na minha opinião não é uma personagem que marque tanto impacto como Davy Jones (interpretado por Bill Nighy). Ainda quanto aos actores, é inegável que é Johnny Depp que faz valer o filme totalmente. É igualmente perceptível que Depp ainda tem um enorme prazer a interpretar esta clássica e carismática personagem, e mais uma vez proporciona-nos uma interpretação magistral digna de nomeação ao Óscar (o que acontecera no primeiro filme da saga, indiscutivelmente o meu p
referido). Mas para quem não é grande fã poderá vir a considerá-la ligeiramente cansativa, pois já não é tão irreverente quanto era. Ver novamente Geoffrey Rush trouxe-me a sensação de nostalgia... Gostaria que tivesse sido melhor utilizado no filme, mas nas cenas em que aparece faz um bom trabalho, como esperado. Penélope Cruz, uma beleza, é claro, mas infelizmente senti que a personagem dela era um bocado deslocada, e sinceramente não consegui perceber a sua raison d'être. Incrivelmente forçada. Mas tinham que arranjar alguma história, não é? Mas é com esta falta de profunidade em relação às novas personagens que não consigo evitar as saudades de Orlando Bloom e Keira Knightley a interpretarem Will Turner e Elizabeth Swan respectivamente, na medida em que eram uma grande valia dos filmes anteriores, e fez muita diferença a sua ausência.

Em relação ao 3D, não é essencial, mas não estraga o filme. On Stranger Ties não é um filme perfeito, mas sem dúvida que merece uma oportunidade de visionamento, especialmente para quem é fã das aventuras de Sparrow. Decerto que se surpreenderão ao se aperceberem que este não é o pior da saga... Entretém!


EXAME

Realização:
6/10
Actores: 8/10
Argumento/Enredo: 5/10
Efeitos/Fotografia: 9/10
Duração/Conteúdo: 5/10
Transmissão da principal ideia do filme para o espectador: 6/10

Média Global: 6.4/10

Crítica feita por Sara Queiroz


Informação

Título em português: Piratas das Caraíbas - Por Estranhas Marés
Título Original: Pirates of the Caribbean - On Stranger Tides
Realização: Rob Marshall
Ano: 2011
Actores: Johnny Depp, Penélope Cruz, Geoffrey Rush

Trailer

11 comentários:

  1. ola!
    deixa-me discordar de ti na parte em que dizes "Jack Sparrow aparece sem navio como se nada tivesse acontecido". No terceiro filme, no final o capitão Barbossa leva o Black Pearl deixando Jack para trás. Quando isso acontece vê-se que Barbossa abre o mapa para ir trás da Fonte da Juventude mas a parte essencial está rasgada pois Sparrow tinha levado esse bocado com ele para ir em busca da Fonte.
    Logo, quando escreves, "E depois há a tal expedição em busca da fonte da juventude, que estranhamente nunca foi mencionada na trilogia", não é bem assim... o terceiro filme acaba com Jack e Barbossa em busca da Fonte.

    Um pequeno aparte, no inicio quando o filme se passa em espanha, achei um bocado estranho os espanhóis falarem inglês entre si...

    ResponderEliminar
  2. Esperava algo do género, mas acabarei sempre por gostar, sendo o guilty pleasure que é :P Irei ver hoje mesmo.

    ResponderEliminar
  3. Ah, nunca fui grande fã da série em questão, mas simpatizo bastante. Estou pra ver esse quarto filme da série :P

    ResponderEliminar
  4. Concordo com o Élson, Sara... Não estás bem familiarizada com o Final do "At World's End". O Jack acaba sem navio, voltando à estaca zero como estava no início do 1º filme, apenas com a vantagem de ter roubado ao Barbossa o mapa para a Fonte da Juventude. Eles os dois- principalmente o Sparrow, que agora detinha o mapa- queriam encontrar a fonte, logo ela foi mencionada e , mais do que isso, foi dada como premissa para uma potencial sequela- que acabou por ser esta...
    Bom, ainda não vi este filme mas não me custa a crer que seja melhor que o "At World's End", porque o 3º filme apesar de bom, estica demasiado... não eram precisas aquela 3 horas... O 1º é o melhor para mim até agora e duvido que o 4º o possa superar onde os outros falharam.
    Concordo: já não se fazem vilões como o Davy Jones (a melhor pesonagem digital que já vi a seguir ao Gollum), até porque o Bill Nighy faz bem de qualquer vilão! Mas eu devo ser ds poucas pessoas que gosta mais do Barbossa do que do Sparrow (mas eu adoro o Sparrow, óbvio!), mas o Barbossa está muito esquisito neste filme e tenho medo que me desiludam com o que lhe fizeram...

    ResponderEliminar
  5. Obrigada a todos pelos comentários (:

    Hum, reconheço que talvez me esquecera dessa última parte do World's End, mas é provável ter sido pelo facto de ser para mim um filme de fácil esquecimento, que nem procurei rever. Peço desculpa então por esse lapso. Mesmo assim penso que a quarta parte começa mal e não é muito explicativa. Poderiam ter relacionado mais com o fim do terceiro. É que não parece ter nada a ver com os anteriores. E o Barbossa está de facto esquisitissimo no filme, só mais para o fim é que o comecei a reconhecer... Em suma, é uma quarta parte de inúmeras falhas, mas que mesmo assim cumpre os objectivos mínimos.

    ResponderEliminar
  6. Gostei muito do filme, o visual é bem explorado e há uma boa retratação da vida de piratas que a Disney quer mostrar. A atuação, como falou, se resume em Depp fazendo um show caricato. Fui ver por Penélope Cruz, mas a personagem dela está mesmo deslocada da trama, uma pena. Além do mais, por melhor que tenha sido minha experiência, ainda acho desnecessária essa quarta parte do que deveria ter sido uma trilogia. Abraços.

    ResponderEliminar
  7. Concordo, este é melhor que o 3º mas não é grande coisa.
    Mas não senti falta nenhuma do Orlando Bloom e Keira Knightley. Sinceramente já tava farta deles no 2º filme.
    Para quem não viu: poupem o € extra do 3D. A imagem é limpa o que é melhor que muitos filmes 3D mas quando entram cenas de acção à noite é melhor ver em 2D.

    Ass. Kes

    ResponderEliminar
  8. Eu assisti apenas ao primeiro filme e gostei.

    Acabei deixando de lado as sequências.

    Abraço

    ResponderEliminar
  9. Não tinha qualquer esperança, não por pensar que seria mais um, mas por simplesmente não ser um seguidor atento, no entanto não desgostei, também não acho que seja assim tão mau.
    É um realmente um filme de entretenimento, e isso ninguém desdiz. Apenas podia ter sidoo...uns 15 minutos mais curto..diga-se que um corte aqui, um pequeno aperto ali, não lhe fariam nada de mal, contribuiriam para uma dose de entretenimento mais duradoura pós filme e não tão dentro dele, o que na minha opinião é propicio a causar algo que pode roçar um sentimento de ligeiro tédio.
    Sim achei que este filme, depois de uma trilogia com uma pitada de algo simplesmente brilhante distribuída desigualmente, o que faz parte na minha opinião, aparece de uma forma demasiado inesperada. A falta de explicações é óbvia, e na minha opinião foi um risco demasiado alto, na tentativa de uma grande mudança,nisso concordo completamente.
    No entanto não acho que tenha sido nenhum tipo fracasso.
    Concordo plenamente, a fonte da juventude, que era um sonho de vida de Jack Sparrow, afinal estava em segundo lugar na lista de afazeres, pois durante a primeira trilogia não foi nem uma única vez mencionada.
    Espero sinceramente que façam como no "Star Wars" ou assim, voltem atrás e expliquem alguma coisa antes do que acontece aqui, ou façam algo que realmente surpreenda e faça valer a pena um novo filme, caso contrário ficaria-mos por aqui.
    Johnny Deep foi realmente a alegria do filme, que continua a desempenhar um papel fantástico, de forma única.
    Talvez tenham usado Penélope Cruz, para ter uma figura feminina, para além das famosas sereias que foram uma grande surpresa para mim(e isto é positivo), e assim talvez chamar algumas atenções, realmente também não entendi muito bem a necessidade de a encaixar forçosamente no filme.
    Quanto ao pirata mais temido por todos os piratas, não tenho nada a dizer nem de muito bom, nem de muito mau. Está muito bem caracterizado, gostei muito do seu "poder", dava-lhe algo realmente único para se temer, mas ao mesmo tempo não era tão temível quanto isso, não sei bem explicar.
    Mais uma vez o 3D revela-se uma perda total de dinheiro, aos espectadores claro, para filmes que são filmados normalmente e postos em exibição também em 3D para render mais ainda e dar trabalho as empresas que tratam dos respectivos sistemas(incluindo produção de óculos,etc), foi praticamente nula a sua relevância durante o filme.
    No entanto...Muito boa crítica =) Continuem assim.

    ResponderEliminar
  10. Concordo em muito com a tua crítica...o filme tem muito de previsível e por vezes arrasta-se e esperava mais das personagens de Penélope e Ian McShane...claro quando Jack Sparrow/Johnny Depp entra em cena esqueço isso tudo :p mas acaba por desapontar um pouco o filme! Apesar disso, gostei, é um guilty pleasure! E sim, as sereias foram uma óptima dança, aquele cena é espectacular!

    Gosto do novo visual :)

    ResponderEliminar