domingo, 22 de maio de 2011

Barney's Version (2010)

Barney's Version estreou na passada quinta-feira nos cinemas portugueses. Não era propriamente minha intenção ver tão rapidamente este filme, grande parte devido ao facto de na sexta já ter ido ver os Piratas das Caraíbas, mas como ir ao cinema para mim é um must, não poderia ter recusado o convite do meu pai, claro está. E o certo, é que a obra baseada no livro de Mordecai Richler, é absolutamente magnífica, deixando-me estupefacta e surpreendida. À muito tempo não saía assim de uma sala de cinema! Irei em seguida explicitar o porquê. "A Minha Versão do Amor" parte de uma premissa simples, contando-nos a história de Barney Panofsky (Paul Giamatti), um empresário judeu de 65 anos que se sente só e infeliz. Num tom confessional, Barney faz uma retrospectiva das suas últimas três décadas, transportando-nos as neuras, complicações e problemas que giram em torno da sua vida e dos seus três relacionamentos, que o moldaram na pessoa que ele é hoje. Tendo o seu pai (Dustin Hoffman), sempre a seu lado, Barney leva-nos a conhecer os altos e baixos da longa e colorida vida.

É um filme que tem um começo curioso e enganador. Cheguei mesmo a pensar "pronto, vai ser daqueles filmes que não se percebe metade da história". Realmente tem um início um pouco desinteressante, mas que gradualmente vai cativando o nosso interesse. É nessa medida que considero que o filme está divido em duas partes. Mas depois chega certa altura em que
inevitavelmente nos encontramos 100% envolvidos na história. É muito envolvente e cativante mesmo, pois experienciamos todas as peripécias, experiências e desilusões da personagem, sendo impossível não nos identificarmos com a mesma. Isso diz muito do trabalho dos actores. Mais uma vez sou obrigada a sublinhar aquilo que digo na maior parte das minhas críticas: sem um elenco consistente, os filmes nunca serão grande coisa, mesmo que com excelentes argumentos. "Barney's Version" conta com um elenco arrebatador, em que todos estão espectaculares e contribuem para o sucesso do filme. A razão primordial pela qual nos encontramos tão cativados pela história de Barney, é porque Paul Giamatti interpreta-o magistralmente. Adorei a sua performance, mereceu mesmo ter ganho o Golden Globe! O que me surpreendeu mais é que assumiu a liderança do filme de maneira brilhante, quando tipicamente o vemos em papéis menores. Acho que este seu papel contradiz muitas pessoas que o consideram pouco versátil. Dustin Hoffman está delicioso neste filme, interpreta uma personagem muito bem caçada mesmo. Não me surpreendi com a excelente interpretação de Hoffman, pois já estava à espera que fosse muito competente. A dupla Giamatti & Hoffman proporcionam dos momentos mais hilariantes do filme. Rosamund Pike interpreta Miriam, o verdadeiro amor da vida de Barney, e não poderia ter sido melhor. Sublime é a palavra certa para descrever Pike.

No entanto, é um filme que peca bastante na sua duração, pois é excessivamente extenso (130 minutos mais coisa menos coisa), o que quebra bastante o ritmo. Alterna equilibradamente momentos hilariantes com momentos de reflexão, mas acaba por se tornar quase como um filme fragmentado, em que algumas sub-tram
as são desnecessárias. Penso que, se algumas cenas tivessem sido cortadas, o filme tornar-se-ia ainda melhor. Mas sinceramente este acaba por ser um problema mínimo, quando visto no panorama geral, pois os pontos positivos minimizam este ponto negativo. É um filme que nos dá a oportunidade de fazer a nossa própria introspecção sobre aquilo que fizemos e as escolhas que tomámos, sendo verdadeiramente tocante e cativante esse aspecto, é quase como um despertar para a realidade.

Em tom de conclusão, à muito tempo que não saía assim de uma sala de cinema. À muito tempo que não me deparava com um filme tão verdadeiro, tão engraçado e ao mesmo tempo incrivelmente triste, que me fez sair do cinema inundada de diversas emoções. Recomendadíssimo para quem procura filmes de excelente realização, argumento e elenco.


EXAME


Realização: 8.5/10
Actores: 9/10
Argumento/Enredo: 8.5/10
Duração/Conteúdo: 6.5/10
Transmissão da ideia principal do filme para o espectador: 8/10

Média Global: 8.1/10

Crítica feita por Sara Queiroz


Informação

Título em português: A Minha Versão do Amor
Título Original: Barney's Version
Ano: 2010
Realização: Richard J. Lewis
Actores: Paul Giamatti, Rosamund Pike, Minnie Driver, Dustin Hoffman

Trailer do filme:

1 comentário:

  1. Tenho altas expectativas em relação a este filme. Vou tentar vê-lo amanhã. Esta crónica só ajudou a abrir o apetite :)

    ResponderEliminar