sexta-feira, 20 de maio de 2011

Monsters - Zona Interdita (2010)



"Now it's our turn to adapt."

Sou fã de Ficção Científica pós-apocalíptica, ponto final. Desse modo, Monsters-Zona Interdita poderia ser um novo filme para adicionar à minha lista dourada; se me espetaram com uma sinopse minimamente interessante e uma promessa de "District 9 do ano", é normal que as minhas expectativas fossem de proporções consideráveis. Para quem pensa que vai ter um novo District 9, está irremediavelmente enganado. Fiquemo-nos pelo filme de quase Sci Fi que ficou aquém do desejado.
A NASA descobriu formas de vida alienígena dentro de nosso Sistema Solar. É enviada uma sonda para trazer amostras, mas ao voltar à Terra sofre um acidente e cai na América Central; seis anos depois, surge uma nova forma de vida no México, sendo declarada uma zona interdita. Neste cenário caótico, Andrew Kaulder (Scott McNairy),um jornalista americano, deve guiar em segurança Samantha (Whitney Able), a filha do seu chefe, para chegar até a fronteira dos Estados Unidos.

O filme teve baixo orçamento, mas isso não é desculpa para a fraca produção do filme. Convenhamos, com District 9 foi semelhante e esse foi um dos melhores filmes do ano de 2009. O argumento per se não é mau, é uma mistura de invasão alienígena, romantismo e temas políticos. Contudo, a execução da premissa é extremamente fraca, todo o enredo desenrola-se da maneira mais aborrecida possível; é que nem vou começar com os diálogos monótonos e redundantes. O filme tem apenas 90 minutos, mas devo dizer que vai parecer três horas. Considero que Monsters tem uma sequência inicial fantástica e que nos mantém intrigados, mas tirando esses primeiros quinze minutos ficamos o filme todo na ânsia que aconteça alguma coisa. Sim, o resultado é negativo para acção: não há sequências de luta ou as perseguições gritantes que o filme prometia. O título do filme é um pouco enganador, pois não é propriamente monstros por todos os lados, mas sim um testemunho de como duas pessoas tentam passar a fronteira entre o México e os EUA; deste modo, eu até compreendo em parte que o filme torna-se um pouco monótono. Toda a trama não é bem fundamentada, na minha opinião. Há quem diga que o filme tem demasiadas semelhanças com Distritct 9 e Cloverfield, devido ao subtexto político e fundo romântico respectivamente, mas eu considero que este filme não é digno de comparações.

O filme foi realizado por Gareth Edwards, que também trabalhou como o director de efeitos especiais. Edwards fez um magnífico trabalho com os efeitos especiais, fê-los de uma maneira extremamente competente! Com pena minha, vemos muito pouco dos ditos monstros, vemos mais o efeito da sua passagem; porém, do pouco que se vê concluí que estão muito bem feitos. O facto de vermos pouco os monstros resulta de certa maneira, pois constitui um elemento de suspense que Edwards conseguiu trazer, ideal para o filme funcionar minimamente. Se o trabalho de Edwards na realização fosse tão brilhante como os efeitos especiais, este filme seria realmente outra coisa, mas nem tudo é mau. Como já mencionei, o registo mais intimista do filme resulta, como também temos um bom desenvolvimento das duas personagens principais.Os amantes de Ficção Científica não verão Monsters como digno do género, e de facto nem eu o considero. Concentra as suas forças em mostrar um país moribundo e as respectivas atitudes sociais, 
e temos um romance dramático muito sólido. Como excelente ponto positivo temos a cinematografia. A cada minuto que passava, suspirava com a fotografia maravilhosa do filme, é de facto estonteante.
As performances dos actores são poderosas, gostei bastante de Scott McNairy e Whitney Able. Encarnaram bem as personagens e gostei da interacção entre eles, apesar dos diálogos não serem de facto os melhores.

Sabem aquela sensação de que querem gostar do filme, mas de facto esse não reúne os ingredientes suficientes para tal? Tentamos dizer para nós próprios "vá, é bonzito", mas no fundo não é? É mesmo isso que sinto. O filme não é o que se está à espera, contudo eu acho que devem dar uma oportunidade a este filme. Vale pela magnífica cinematografia , e digamos que o filme nem é assim tão mau. Fica o aviso para não esperarem que aconteça alguma coisa; ficam à espera que aconteça, e esperam, esperam, esperam, esperam...


EXAME

Realização: 6/10
Actores: 8/10
Argumento/Enredo: 4/10
Efeitos/Fotografia: 9/10
Duração/Conteúdo: 3/10
Transmissão da principal ideia do filme para o espectador: 7/10

Média Global: 6.1/10

Crítica feita por Joana Queiroz

Informação

Título em português: Monsters-Zona Interdita
Título Original: Monsters
Realização: Gareth Edwards
Ano: 2010
Actores: Scott McNairy, Whitney Able

Trailer do filme:



6 comentários:

  1. Concordo plenamente com a tua critica. Não se pode mesmo comparar ao "Cloverfield" ou ao fantástico "Distrito 9". Fica aqui a recomendação para um filmaço de ficção, bem mais recente, que foi o "Skyline". Já deves ter visto, mas aqui fica a recomendação na mesma ;)

    ResponderEliminar
  2. Discordo com a tua critica. Percebo a decepção. Eu já sabia o que ia ver e sim não me surpreendeu como o Distrito 9 (que é magnifico) mas o filme é bom e até acho que está muito bem realizado.
    No que discordo (porque claro gostos não se discutem) é achares que isto não merece um rotulo de Ficção Cientifica. Por se ver pouco os monstros ou porque tem pouca acção? Isso também não indica má qualidade visto o Battle LA e o Skyline (mencionado pelo Bruno Pimpão) terem bastante dos 2 e serem ambos muito maus.
    Também não acho os dialogos monotonos. Introduzem e mostram muito bem a evolução dos personagens. São reais.
    Não sei se me fiz entender. Não tenho grande jeito para txt ou escrever criticas. Acho que a tua está bem construida só com uma visão um pouco distorcida.
    Mas vou seguir esta pag. Boa sorte ;)

    Ass. Kes

    ResponderEliminar
  3. Gostei do seu texto. Li um esses dias que também comparou com o ótimo Distrito 9, o que acaba deixando ele cada vez menos valorizado pra mim, rs. Já não queria ver o filme, agora não quero mesmo, odeio ficar na expectativa pra nada acontecer.
    Abraços.

    ResponderEliminar
  4. To muito afim de ver esse filme, parabens pelo espaço.

    http://umanoem365filmes.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  5. @ Bruno Pimpão: Sim, não se pode mesmo comparar. Obrigada pela recomendação =), e sim, já o tinha visto; contudo, devo dizer que não gostei muito do filme :/.

    @ Kes: Não é que não considere o filme como Sci Fi, mas acho que não contribui em nada para o género. O facto de ter poucos monstros, como disse na crítica, nem é um ponto assim tão negativo. Aliás, constitui até um elemento de suspense que Edwards traz ao filme; é a história de termos medo do que não vemos, compreendes? Battle LA e Skyline são maus, sim.
    Considero os diálogos um pouco monótonos e redundantes, mas realmente mostram uma boa interacção das duas personagens. Também é compreensível isso pois não sei se sabes mas a maior parte dos diálogos e cenas foram fruto de improviso e interacção dos actores, sendo assim muito real. Claro que te fazes entender ;). Obrigada pelo teu comentário!

    @ Gabriel: Obrigada! Se não gostas mesmo de ficar na expectativa, é melhor não veres mesmo :P.

    @ Celo Silva: Parabéns pelo seu espaço também :)

    ResponderEliminar
  6. Discordo totalmente de sua crítica, pois Gareth Edwards é um ótimo diretor, ele sabe como poucos como equilibrar ação e drama sem ficar cliché. As críticas ao seu filmes ( incluindo o monsters) sempre são ótimas. Tanto que a Legendary Pictures e a Warner Bros o escolheram para o seu maior projeto dos últimos cinco anos (sendo esse o godzilla, que ele por sinal fez perfeitamente respeita o original). Então antes de falar mal de algo estude um pouco mais, porquê ficção científica na sua origem é todos os medos ou mais estranhos do ser humano.

    ResponderEliminar