quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

The Matrix (1999)

"Remember there is no spoon"

Escrever uma crítica do Matrix não é tarefa fácil; Mas apesar da tremenda complexidade, seria imoral da minha parte não fazê-lo. "The Matrix", que detém a merecida reputação de "melhor filme do género" consta, para além do mais, do meu Top 5 de filmes, sendo mais uma razão pela qual não se justifica a minha tardia crítica. Mas mais vale tarde do que nunca, portanto tentarei fazer o máximo de justiça ao filme.

Thomas A. Anderson (Keanu Reeves) é um programador de sistemas que trabalha numa respeitável companhia de software. Só que durante a noite ele vive no "mundo cibernético" assumindo o papel do hacker Neo, e já não consegue praticamente distinguir a realidade dos sonhos. Anda obcecado simplesmente com uma coisa, descobrir o que é o Matrix. Numa determinada altura, Neo é abordado por Trinity (Carrie-Anne Moss), uma estranha que o leva ao encontro um homem misterioso, Morpheus (Laurence Fishburne), que o procurava há algum tempo e parece ser o único capaz de esclarecer Neo: Afinal de contas, o que é Matrix? É-lhe revelado que não se está no fim do século XX, e sim 150 anos à frente, e que o mundo é agora controlado por máquinas e inteligências artificiais criadas pelo homem. Matrix seria, assim, o nome do gigante programa de computador criado pelas máquinas que mantém os humanos "presos", que no entanto desconhecem este facto, pois são-lhes transmitidos directamente aos cérebros uma espécie de mundo virtual, inexistente, ambientado no ano de 1999. Esse mundo é justamente onde Neo e todo o resto da humanidade julgam viver. Vivem é numa realidade virtual. Morpheus é o líder dos humanos que conseguiram salvar-se aproveitando os erros do Matrix. Anda agora em busca do "Predestinado", que segundo ele, será Neo e salvará a humanidade daquela escravidão. O filme segue então a aventura de Neo.
A ideologia implícita em Matrix, acaba por ser bastante óbvia. É a passagem do mundo sensível para o mundo inteligível: Os indivíduos presos no matrix não possuem senso crítico, estão confinados a um mundo irreal, fazendo dessa irrealidade a realidade. São meros produtos do sistema, e é essa a sua verdade absoluta. A única forma de libertação sugerida é o "pensar filosoficamente", e como Morpheus bem exemplifica, os humanos só podem mudar a realidade quando obtiverem uma consciência crítica, ou seja, apenas a tomada de consciência permite encarar a realidade para mudá-la. A pessoa só poderá ser livre quando conhecer verdadeiramente a sua essência. O que o filme sugere é que o conhecimento da verdade resulta de escolhas morais.

A chave para o tremendo sucesso de Matrix é, sem dúvida, a "simbiose" de dois elementos opostos: por um lado, a interessante e paradoxal narrativa do filme, que envolve metafísica e a filosofia, e por outro lado, a tremenda e espectacular acção que o filme nos proporciona. O filme testa-nos intelectualmente, The Matrix faz inúmeras referências, tanto a obras literárias e anime japonesa, como a mitos históricos, religiosos e filosofia, tendo um argumento substancialmente rico. Conta também com referências aos submundos cyberpunk e cibernáutico. A densidade do filme é algo mesmo fascinante, os diálogos estão soberbos e a fotografia está de cortar a respiração, o que torna Matrix ainda mais extasiante. Isto porque é natural estar-se à espera de um filme de acção sem qualquer conteúdo. Mas de The Matrix podemos esperar que puxe por nós intelectualmente pois ao longo do filme vai-se constituindo elementos filosóficos capazes de dar um fundamento lógico para o enredo complexo. Não é um filme exactamente fácil de se perceber, requer bastante atenção pois poderá ser de dificil percepção e compreensão, numa fase inicial. O certo é que Matrix suscita em nós inúmeras questões, é desafiante. "O que é o real?".
Há que considerar que poucos são os filmes com sequências de acção tão boas quanto Matrix. As cenas de luta estão espectacularmente bem coreografadas. São mesmo durante estas que os inovadores efeitos visuais se tornam tão apelativos. Claramente foi um aspecto que o tornou célebre. Quem não se recorda da cena de Neo a desviar-se das balas, por exemplo? Os efeitos especiais estão mesmo qualquer coisa de extraordinário, obviamente mais que merecedores do Óscar de "Melhores Efeitos Visuais". The Matrix constituiu uma inovação e evolução tremenda do género, redefinindo-o mesmo, e foi um marco da década. É capaz de ser o principal ponto que Matrix chama a atenção: as suas particularidades e estilo próprio que romperam com o que se assistia até então, tornou-o numa verdadeira revolução que influenciou os filmes do género até hoje, a nível de desenvolvimento técnico-visual. The Matrix popularizou o agora muito conhecido efeito visual "bullet time". A banda sonora também complementa bastante bem. O género musical industrial e electrónica combinam na perfeição com a temática do filme e ajudaram a incutir ainda maior espectacularidade às sequências de acção.

A realização está perfeita. Na minha humilde opinião, não há qualquer falha. Os irmãos Wachowski aqui excederam-se, sem sombra de dúvida. Ambos são dotados de uma criatividade incrível e inimaginável. Idealizar um filme como o Matrix... Bem, que mais adjectivos poderei utilizar para descrevê-los? Simplesmente não se pode questionar a genialidade destes realizadores. É que fizeram igualmente um excelente trabalho na escolha dos actores. O elenco está realmente excelente! Keanu Reeves, assume a liderança de maneira sensata, interpretando Neo bastante bem, embora às vezes com alguma falta de carisma. Este é um problema, no entanto, que parecendo ser um bocado característico do actor, não prejudica em nada a qualidade do filme. Na minha opinião quem mais se destaca é Hugo Weaving, que sem dúvida é o melhor do filme. Weaving conseguiu criar dos melhores vilões de sempre.

Só conheço duas alminhas que não gostaram do filme... Sinceramente não percebo como é possível. Sou levada a crer que não viram o filme com a devida atenção, portanto há que rever!
Concluo de maneira simples: The Matrix é, para mim, dos melhores filmes da história do cinema pois praticamente atinge a perfeição. Imperdível!


EXAME

Realização:
10/10
Actores: 9/10
Argumento/Enredo: 10/10
Duração/Conteúdo: 9/10
Efeitos/Fotografia: 9.5/10
Transmissão da ideia principal do filme para o espectador: 8.5/10

Média Global: 9.3/10

Crítica feita por Sara Queiroz

Informação

Título Original: The Matrix
Título em Português: Matrix
Ano: 1999
Realização: Larry e Andy Wachowski
Actores: Keanu Reeves, Laurence Fishburne, Carrie-Anne Moss, Joe Pantoliano, Hugo Weavin


Trailer do Filme:


3 comentários:

  1. Se há coisa que o teu texto revela é que tens uma paixão imensa pelo filme ;) É natural, todos temos a nossas paixões.

    A obra-prima dos irmãos Wachowski é genial e visionária, um feito espectacular e revolucionário. O argumento é labiríntico em todas as suas questões filosóficas, essenciais ao auto-conhecimento do ser humano.

    5/5

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  2. A crítica diz tudo:
    O Matrix revolucionou a industria cinematográfica e foi o grande impulsionador de novas formas de fazer cinema.
    Junta acção, filosofia e ficção, separados por linhas muito ténues e que não são fáceis de se perceber, daí dizeres bem que é um filme que precisa de atenção para ser visto, bem como inteligência.
    Excelente crítica!

    ResponderEliminar
  3. Uma crítica que faz muita justiça ao franchise! Sem dúvida das melhores triologia que a história do cinema já viu. O apuramento crítico do filme faz-nos mesmo abrir os olhos e a não tomar por verdadeiro e garantido tudo aquilo que vemos. Então se juntarmos a isso a maneira visual como os irmãos Wachowski decidiram transpôr o enredo para o ecrã! Realmente rompe com tudo antes visto! Adorei a triologia e é dos filmes mais ineligentes e bem sucedidos em termos de story-telling (porque a trama pode ser boa, mas um filme pode ser mau por não conseguir passar bem a mensagem...). Conheço uma alminha que não gostou do filme... o meu irmão... Coitado, não consegue perceber a genialidade da história (deve haver muita gente que pensa que aquiloé só um filme de porrada). Deve ser dos papéis menos maus do Keanu Reeves, porque não gosto nada dele como actor... é tão parado e tudo o que diz faz soar a falso... O Hugo Weaving é fantástico, como sempre.

    ResponderEliminar