quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Caso 39 (2009)

"Some cases should never be opened."

Não é novidade que eu sou muito dada a filmes de terror/suspense, o que faz com que esteja sempre à procura de novos títulos para ver. Já tinha ouvido falar deste filme, mas já calculava que não fosse lançado em Portugal. Demorou 3 anos para "Caso 39" ser lançado nos EUA (o filme foi completado em 2007), vejam lá o escândalo... Para minha surpresa, apanhei o DVD do filme na Fnac e comprei, decidindo assim dar uma oportunidade ao filme. Também estava curiosa em ver Zellweger neste tipo de filmes, pois não é algo usual.

No filme realizado por Christian Alvart, Renée Zellweger interpreta Emily, uma assistente social que tem em mãos 38 casos de maus tratos contra crianças. Só que o seu chefe encarrega-a de um trigésimo nono, o caso da Família Sullivan, e começa a desconfiar que a pequena Lilith (Jodelle Ferland) sofre de maus tratos e precisa da ajuda do Serviço Social. No entanto, à medida que factos estranhos vão ocorrendo, Emily apercebe-se que Lilith pode não ser tão inocente assim... A premissa parece sólida e interessante, no entanto acaba por padecer de um problema grave: a falta de originalidade. Temos mais uma aparente boa história de terror do género "criança do mal", só que, e temo ter que fazer comparações, fica na sombra do filme "A Orfã", por exemplo. Nada de novo nos traz, tornando-se enfadonho.

O filme é dotado de inúmeras fragilidades, Christian Alvart não conseguiu evitar isso, apesar de demonstrar percepção com a câmara e que sabe utilizar os ângulos certos nas cenas de mais acção. Desde logo deparamo-nos com clichês e tentativas de susto ridiculamente falhadas. Porém, a construção de um ambiente de suspense não falha na totalidade, só que apesar de um desenvolvimento aceitável, acabamos por nos desiludir com a fraca concretização das cenas, isto é, deparamo-nos com um desfecho pouco satisfatório que não corresponde à nossa expectativa inicial. Para além do mais, o filme proporciona mistérios que não são tão misteriosos assim e são poucas as cenas que assustam alguma coisa, e apesar de ter os seus supostos "twists", o filme é demasiado previsível para ficarmos surpreendidos. No entanto, para quem gosta desde tipo de histórias, até é capaz de agradar. Não há nada de fantástico ou memorável, mas entretém o suficiente, e é minimamente eficaz.
O grande ponto positivo do filme é, sem dúvida o elenco. Mas nem todo: não penso que Renée Zellwegger seja a estrela do filme. Cumpre minimamente os objectivos, mas esperava muito mais. Deu-me a sensação que andava perdida, quase que como se tivesse sido forçada a fazer o filme. Não me pareceu natural. Já Jodelle Ferland, faz um papelão e é sem dúvida quem proporciona as melhores sequências do filme (a cena do diálogo entre ela e Bradley Cooper é das cenas mais arrepiantes), fiquei muito surpreendida pela positiva. Ian McShane e Bradley Cooper são outras boas adições ao elenco.

Como já referi, o filme é capaz de entreter para quem esteja no espírito certo, mas detém inúmeras falhas que o farão inevitavelmente cair no esquecimento dos fãs do género. O final do filme podia ser bastante melhor. Não passára de um mero filme de terror que não se destaca pela positiva em qualquer sentido nem é levado a sério.. Agora percebe-se porque é que demorou tanto tempo a ser lançado.


EXAME

Realização:
5/10
Actores: 7/10
Argumento/Enredo: 5/10
Duração/Conteúdo: 6.5/10
Transmissão da ideia principal do filme para o espectador: 6/10

Média Global: 5.9/10

Crítica feita por Sara Queiroz

Informação

Título em português: Caso 39
Título Original: Case 39
Ano: 2009
Realização: Christian Alvart
Actores: Renée Zellweger, Ian McShane, Jodelle Ferland, Bradley Cooper

Trailer do filme:



0 comentários:

Enviar um comentário