quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Se7en (1995)

Gula, Avareza, Preguiça, Luxúria, Orgulho, Inveja e Ira. São estes os sete pecados mortais, que serviram de tema para este brilhante thriller realizado por David Fincher e protagonizado por Brad Pitt e Morgan Freeman. Deparamos-nos com um horror completamente diferente; sem a necessidade de assustar com a violência agressiva e exacerbada, Se7en é brilhante e envolvente, com um ambiente de cortar à faca em que a tensão que nos transmite é quase insuportável. Temo ser conclusiva ao adiantar que é um filme que nos proporciona uma experiência e tanto, mas o facto é que constituiu uma revolução nos thrillers policiais, e hoje assume-se como um verdadeiro filme de culto.

Em Se7en acompanhamos os detectives Somerset (Morgan Freeman) e Mills (Brad Pitt), da divisão de Homicídios, uma dupla improvável que se depara com um serial killer (Kevin Spacey) que detém uma particularidade: mata suas vítimas de acordo com seus pecados, os sete capitais. Somerset e Mills tentam resolver este intrigante caso, desconhecendo que são o centro das intenções do serial killer.

Jamais se poderá considerar Se7en como um filme aborrecido. De tão intrigante que é, a necessidade de atenção constante revela ser um trunfo do filme, que chega a ser poderosíssimo nos detalhes. É um filme deveras explicativo, estruturalmente perfeito, mas que ainda assim consegue surpreender no final. Aliás, o filme é praticamente conhecido pelo seu final, pois por mais antecipação que gere, é inesperado e chocante. David Fincher revelou ser um grande mestre do suspense e, na minha opinião, é o melhor trabalho
do realizador. É no argumento que o filme mostra a sua verdadeira força: é inteligente, e muito bem conduzido por Fincher, pois é incansável na construção de uma atmosfera tensa e carregada, que chega a ser incomodativo e perturbador em algumas cenas. A fotografia e a trilha sonora não poderiam complementar o filme de melhor maneira, contribuindo para um ambiente acinzentado e pesado que provoca a sensação constante de ansiedade.

Claro está que o filme deve muito ao seu elenco. Kevin Spacey é indiscutivelmente dos actores mais ass
ombrosos de sempre, e a interpretação que faz de John Doe, é absolutamente visceral. Em relação a Brad Pitt, acho que é dos papéis que mais gostei de vê-lo, pois não está presente aquela constante apatia que vejo em outros filmes (não o considero um excelente actor, pois não transborda versatilidade). Morgan Freeman é um senhor, nem sei o que poderei dizer para enaltecê-lo. Simplesmente a interpretação fala por si própria.

Com um argumento original, excelentes actuações e uma realização competente, Se7en detém todas as qualidades imagináveis. Creio que Fincher criou dos mais espectaculares e sólidos suspenses, com um final insuperáv
el. Mais que recomendado!

EXAME


Realização: 8/10
Actores: 9/10
Argumento/Enredo: 9/10
Duração/Conteúdo: 8/10
Transmissão da principal ideia do filme para o espectador: 8/10

Média Global: 8.4/10

Crítica feita por Sarah Queiroz


Informação

Título Original: Se7en
Título em Português: Se7en - Sete Pecados Mortais
Ano: 1995
Realização: Wolfgang Petersen
Actores: Brad Pitt, Morgan Freeman, Kevin Spacey, Gwyneth Paltrow

Trailer do Filme:


4 comentários:

  1. Filme incrível! Preciso rever urgentemente um dia desses.

    ResponderEliminar
  2. Obra-prima do gênero policial. O clímax é um dos mais intensos a que já me submeti.

    http://cinelupinha.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  3. Precisamos de mais filmes como esse! Faz tempo que nada realmente bom é lançado no gênero.

    ResponderEliminar
  4. Como há poucos dias escrevi no meu blog, Se7en é uma das obras máximas da década de 90 e da carreira de Fincher.

    Abraço
    Frank and Hall's Stuff

    ResponderEliminar