quinta-feira, 22 de novembro de 2012

End of Watch - Fim de Turno (2012)


Mixórdia de acção policial com shaky camera.

Vi o poster, li o titúlo e pensei: mais um filme com a mesma temática de sempre. Bom caros leitores, eis que me enganei. End of Watch – Fim de Turno acabou por ser uma agradável surpresa. Este filme é o novo drama realizado por David Ayer e é protagonizado por Jake Gyllenhaal e Michael Peña. Para completar o elenco temos Anna Kendrick, Cody Horn, America Ferrera e Frank Grillo. O uso de shaky camera é algo que já é bastante utilizado, especialmente em franquias de terror de sucesso (por exemplo, Paranormal Activity). Neste sentido, mais tarde ou mais cedo este subgénero iria migrar para outros géneros sem ser o terror, tal como a comédia Project X e agora este policial de David Ayer.
O filme acompanha uma dupla de polícias de Los Angeles que estabelecem uma amizade profunda, Brian Taylor (Jake Gyllenhaal) e Mike Zavala (Michael Peña). Acontece que as ruas de Newton em LA são zonas muito violentas. Durante uma acção de patrulha de rotina os dois polícias confiscam uma pequena quantidade de dinheiro e armas, acabando por ficar marcados para morrer por um perigoso gangue.

Os elementos presentes nesta película, tanto a nível de enredo como de personagens, fazem lembrar inevitavelmente Training Day – igualmente realizado por David Ayer. Contudo, creio que a End of Watch falta mais consistência, havendo mesmo ausência de uma trama melhor delineada. Criam-se algumas expectativas relativamente a situações vivenciadas pelas personagens que acabam no vazio (ex.:tráfico humano), o que poderia ser algo bastante interessante e inovador.

Todo o filme mistura o género found-footage com cinematografia convencional. O que pode ser óptimo, não há dúvida, pois o tom documental contribui para a criação de tensão. Contudo, uma falta de planeamento na condução da câmera e um exagero no uso desse estilo acaba por, na minha opinião, prejudicar o filme.  É verdade que o realizador desenvolve algo que nos insere directamente na acção e cria tensão nas diversas situações, mas poderão dar alguma enxaqueca - o que compromete a compreensão total de algumas situações expostas, por serem visualmente confusas.  Outro aspecto é que este estilo documental acaba por perder o seu propósito, pois a início era fundamentado pela ideia que o polícia Taylor tinha para um projecto (sendo então a held camera e as mini-câmeras) mas depressa existem outras fontes, o que contribui mais para a confusão.

Contudo, o realizador acerta em cheio no desenvolvimento das duas personagens principais. Neste filme, não temos o cliché de polícia inexperiente + veterano, mas sim dois equivalentes: uma parceria, onde a cumplicidade e a confiança estão bem patentes na relação. Isto tudo resulta também porque os dois actores que os interpretam – Jake Gyllenhaal e Michael Peña – têm uma excelente dinâmica. A troca de diálogos dentro do carro-patrulha são preciosos, demonstrando não só a personalidade de cada polícia mas também o quão profunda é a sua amizade. Os actores mostram uma grande naturalidade, sugerindo material improvisado. Foi na aposta nesta dinâmica aliada ao desenvolvimento das personagens que as cenas de maior tensão passaram a funcionar a 100% - quando as personagens se tornam reais para o espectador, começam realmente a importar. Mesmo que essas cenas estejam por vezes exageradas pelo estilo de câmera como anteriormente referido, estão muito bem conseguidas pois o realizador constrói a tensão com bastante sapiência. De realçar que nesses momentos até é empregue a câmera em primeira pessoa, fazendo lembrar um live-action do FPS Call of Duty.
O realizador também acerta na dose de emoção e intensidade no final do filme, ainda que na minha opinião é um pouco rápido e previsível, chegando a fugir da proposta mais realista – mas é um facto que ficamos nervosos com o destino das personagens.

Como disse anteriormente, End of Watch foi sem dúvida uma surpresa muito agradável, apesar de não estar isento de falhas. Não é inovador, mas não é esse o objectivo da longa – cumpre os requisitos e retrata os conflitos existentes na realidade com veracidade e sapiência, com uma história de amizade profunda como background. Recomendado para quem queira ser inserido directamente dentro da acção.


EXAME

Realização: 7/10

Actores: 9/10
Argumento/Enredo: 7/10
Duração/Conteúdo: 7/10
Transmissão da ideia principal do filme para o espectador: 7/10

Média Global: 7.4/10

Crítica feita por Joana Queiroz

Informação


Título em português : Fim de Turno

Título Original: End of Watch
Ano: 2012
Realização: David Ayer 
Actores:   Jake Gyllenhaal, Michael Peña, Anna Kendrick, America Ferrera

Trailer:

3 comentários:

  1. O Jake Gyllenhall às vezes irrita-me, outras vezes surpreende-me. Mas estou sempre pronto para ver policiais.

    ResponderEliminar
  2. Concordo com o teu comentário, mas em End of Watch ele não consegue ser irritante,pelo menos na minha opinião.

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  3. Jota, já não comentava há algum tempo! Devo dizer que adorei este filme e salientas aspectos importantes nesta tua crítica, parabéns.

    ResponderEliminar