sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Before Sunrise - Antes do Amanhecer (1995)


A mais bela e menos lamechas história de amor.

O amor é um tema universal que geralmente agrada a muita gente. O género nunca me agradou muito - vomito com comédias românticas por exemplo - mas dou sempre uma oportunidade a todos os filmes. Before Sunrise revelou ser muito mais do que parecia. Este belíssimo filme transcede a mera ideia que é apenas um filme romântico, sendo na sua essência uma rica e filosófica conversa entre duas personagens que acabam por se apaixonar. Creio que é mesmo o melhor filme do género.
A história é simples. Jesse (Ethan Hawke), um jovem americano, e Celine (Julie Delpy), uma estudante francesa, conhecem-se num comboio com rumo a Viena e começam a conversar. Interessado em Celine, Jesse convence-a a desembarcar com ele em Viena, e gradualmente vão-se apaixonando. Contudo, existe uma realidade incontornável -  no dia seguinte ela irá para Paris e ele para os Estados Unidos. Assim, resta aproveitar ao máximo o pouco tempo que lhes resta.

Realmente é minimalista, não é? Duas pessoas estranhas deixam um comboio, conhecem uma cidade, falam durante  uma noite inteira sobre tudo e apercebem-se que descobriram a sua alma gémea. E é isso que me agrada neste filme – a simplicidade, mostrando que não é necessário efeitos especiais, demonstrações de afecto exageradas ou outros artifícios para realmente ser brilhante. O filme sustenta-se na história, actores e diálogo, sendo que este é muito inteligente, e todo o guião consegue abordar diversos sentimentos sem nunca parecer lamechas, antes pelo contrário. Aliás, num filme em que existem apenas duas personagens o guião torna-se num dos elementos fundamentais para o sucesso de um filme. Aí, o realizador Richard Linklater não pecou. A dinâmica e química evidente entre as duas personagens também foi imperativa. Toda a longa é muito peculiar, sendo que a fluidez é um importante aspecto a abordar. A narrativa desenvolve-se gradualmente e numa perspectiva incrivelmente realista. É como testemunhar duas pessoas a apaixonarem-se uma pela outra em tempo real: é simplesmente mágico. Os dois actores sentem-se incrivelmente à vontade um com o outro, tudo é muito credível e flui muito naturalmente.

Achei deveras interessante a maneira como o filme aborda a questão de coração versus razão, estando isso patente nas diferenças entre as duas personagens principais: Jesse é mais céptico e Celine é mais ingénua. Todos os seus sentimentos e filosofias colidem numa interessante conversa, testando assim o romantismo e cinismo de nós espectadores.  E para a cereja no topo do bolo, o realizador potencia ainda mais a beleza do filme,  presentando-nos com um incrível cenário: magníficos planos da cidade de Viena que envolvem Jesse e Celine.

A minha cena favorita, e por incrível que pareça, é uma em que não há palavras. Os dois estão a ouvir um disco de vinil e nesse exacto momento o espectador percebe que estão a apaixonar-se um pelo outro.

Poderá não agradar a toda a gente, claro. Há quem ache muito arrastado e entediante, mas para quem estabelece uma conexão imediata com as personagens torna-se impossível não gostar do filme. O pior  é quando ele acaba - o suspense fica no ar. Será que o casal se reencontrará de novo, dentro de seis meses, como prometido? Fica para o espectador reflectir – se é céptico, pensará que não, se é romântico pensará que sim. Para o público mais graúdo que viu o filme em 1995, teve de esperar nove anos e um pôr-do-sol pela resposta.

EXAME

Realização: 9/10

Actores: 10/10
Argumento/Enredo: 8/10
Duração/Conteúdo: 7/10
Transmissão da ideia principal do filme para o espectador: 8/10

Média Global: 8.4/10

Crítica feita por Joana Queiroz


Informação


Título em português : Antes do Amanhecer

Título Original: Before Sunrise
Ano: 1995
Realização: Richard Linklater
Actores:  Ethan Hawke, Julie Delpy

Trailer:




VER TAMBÉM:

Before Sunset (2004), por Joana Queiroz
beforesunset

3 comentários:

  1. História simples, sensível e marcante. Os cenários de Viena são belíssimos e as interpretações de Hawk e Delpy são espontâneas e simpáticas.

    A sequência produzida nove anos depois também é ótima, porém os sonhos dos jovens se transformaram em frustrações de adultos.

    Espero que Richard Linklater feche a trilogia de alguma forma.

    Até mais

    ResponderEliminar
  2. Olá Hugo, concordo com o teu comentário. Aliás, devo mesmo dizer que prefiro o segundo filme, cuja crítica devo fazer brevemente.

    Richard Linklater vai mesmo fechar a trilogia, com o Before Midnight em 2013, que se passará em Atenas. Mais uma bela cidade europeia ;)

    Obrigada pelo comentário!

    ResponderEliminar
  3. O filme que marcou a minha adolescencia, sem duvida um dos filmes da minha vida.
    Acho que o 2 não existe sem o 1, e o 1 precisa do 2 para percebermos o que aconteceu naquele amanhecer em Viena.
    A contar os dias para o 3.

    ResponderEliminar