sábado, 5 de março de 2011

Rango (2011)

"The name's Rango."

Atenção cinéfilos de todo o mundo. A PIXAR tem, oficialmente, competição! Adoro os seus filmes, especialmente Wall-E e Up!, mas já há imenso tempo que não havia um filme de animação sem ser da PIXAR que marcasse impacto em mim. Rango é um animated western que só pelo trailer tinha despertado imensa curiosidade. Com Johnny Depp a dar a sua voz ao protagonista, este filme prometia.


O filme conta-nos a história de um camaleão que vive uma vida solitária. Faminto por alguma companhia, Rango vai passando os dias com a sua imaginação fértil, tendo como amigos um peixe-relógio laranja e uma Barbie decapitada. De repente, o camaleão vê-se perdido no Deserto de Mojave. Procurando refúgio, ele encontra uma Vila que é habitada por criaturas do deserto que vão tentando sobreviver à ausência de água. Após derrotar uma temível ave-de-rapina, Rango ganha o título de xerife da Vila. Agora, todas as esperanças da comunidade do
deserto são depositadas em Rango, com a esperança de que ele mude a situação. Mas as coisas não vão ser assim tão fáceis…

Achei o argumento em si um pouco insípido e cliché, com uma fórmula “feita”, do “estranho que vem para a vila e que se torna o imprevisível herói para salvar o dia”. Contudo, não deixa de ser um argumento sólido, querido e com bons diálogos. Rango tem crises existenciais que se focam em questões filosóficas que realmente nos fazem pensar, e identificamo-nos com o protagonista. O realizador Gore Verbinski não nos desilude a nível de acção: tem sequências maravilhosas, que entretém bastante. Verbinski traz-nos um filme fascinante e divertido, com as piadas no timing certo; as sequências com pouco diálogo, onde a música épica impera e a cinematografia nos fascina, são as melhores do filme. Devo realçar um ponto negativo, na minha opinião: passado uma hora e meia, já se sente que o filme é demasiado longo, numa tentativa desesperada de ter um slower vibe de alguns clássicos westerns.

Havia alturas em que o filme parecia real, não estou a brincar. Está visualmente fascinante, com uma excelente cinematografia. Há um trabalho fabuloso a nível de modelos, iluminação e texturas, a atenção ao detalhe é incrível! A animação em si é muito subtil, fluida, excêntrica e é uma lufada de ar fresco a comparar com outras animações que vemos por aí. As paisagens são perfeitas e dão imensa vida ao filme.
O compositor Hans Zimmer compôs a banda sonora do filme, e é um dos meus compositores favoritos (aparte de Danny Elfman e Clint Mansell), com scores de Gladiator, The Dark Knight e Inception. Rango sem a música característica não tinha tanta piada.


As personagens em Rango são magníficas, donas de uma singularidade e personalidade di
stintas que têm direito ao seu lugar ao sol. O principal, claro, é Johnny Depp que dá vida a Rango, e devo dar os meus sinceros parabéns. Depp vive a personagem, fazendo com que nos esqueçamos que é ele que está a dar a voz e permitindo ao camaleão ser a verdadeira estrela. Isla Fisher dá a sua voz de uma maneira muito peculiar e divertida a Beans (Feijoca fica muito mais engraçado), com um característico sotaque redneck e uma sensibilidade cómica que fica muito bem. Alfred Molina e Abigail Breslin são competentes, mas Bill Nighy está perfeito como o antagonista Rattlesnake Jake.
Devo realçar a banda Mariachi, composta por 4 mochos que nos vão guiando pela história de Rango. Brilhantes.


Das melhores animações dos últimos anos, Rango é definitivamente um must-see. Uma combinação forte de personagens lendárias, vozes excepcionais, uma banda sonora inspiradora e referências filosóficas para os adultos mastigarem, que peca a nível do cliché da história e na sua duração. Rango é entretenimento puro, e não deixem o facto de ser Western vos prive de o irem ver. Ah, e não pensem que é um filme para crianças. Se não for nomeado para nenhum prémio, o mundo está oficialmente louco. Recomendado!


EXAME


Realização:
8/10

Vozes/Actores:
9/10

Argumento/Enredo:
7/10

Duração/Conteúdo: 6/10
Banda Sonora:
8/10
Animação:
9.5/10

Transmissão da principal ideia do filme para o espectador:
7.5/10


Média global: 7.9/10

Crítica feita por Joana Queiroz


Informação

Título em português:
Rango

Título original:
Rango

Ano:
2011

Realização:
Gore Verbinski

Actores:
Johnny Depp, Isla Fisher, Bill Nighy, Abigail Breslin, Alfred Molina

Trailer do filme:


4 comentários:

  1. Rango, o divertido camaleão, traduz-se em uma hora e meia de entretenimento. Ora diverte, como sensibiliza, ainda com tempo para nos dar que pensar...perdoem-me se me engano, mas isto é entretenimento, do melhor.
    No meio de um ambiente visual fantástico, como dito, com uma precisão enorme no mais ínfimo pormenor, extremamente apelativa e cativante, este é, sem dúvida, um filme que consegue agradar a qualquer um, e promete ser um dos que não se esquece facilmente.
    Quem melhor que Johnny Depp, para esta personagem louca, que nem Jack Sparrow, para tornar um camaleão, num divertido heroi que consegue concretizar feitos, quase inimagináveis, com base na sua capacidade de improviso como "actor". Sublinho aqui a perspicácia de quem o escolheu.
    Todas as outras vozes merecem também um enorme destaque, porque estão muito bem caracterizadas.
    Uma ideia que, com um fundo realmente já visto, é sempre bem vinda, e que acompanhada dos 4 Mariachi, que dão um especial encanto ao desenrolar da história, fazem de Rango um filme ,na minha opinião, original, não pela história, mas pela forma muito natural como se desencadeia e nos prende ás personagens.
    Na minha opinião, adorei o filme, aceito a base no tal cliché, e por aí talvez perca uns pontos, não concordo quando é dito que é um pouco longo demais, acho que está bom o suficiente nesse aspecto, poderia talvez ser um pouco menos previsível, penso que a meio já se consegue prever de uma forma geral como irá acabar, mas está muito divertido o que dá um certa compensação, como é animação penso que o público alvo são os mais novos, apesar de de se arranjar espaço para adultos, logo também não vejo nenhum problema que se destaque.
    A pontuação geral dada parece-me ligeiramente baixa, apesar de não discordar muito nas pontuações relativas, apenas mudaria certamente a pontuação relativa à duração par um 8 ou mais, o que não alteraria assim tanto a geral.
    Bela critica, continuem. =)

    ResponderEliminar
  2. CHAMEM A POLICIA!!!

    Hoje ia fazer a crítica do Rango!!! ahahah

    ADOREI O FILME! ANIMAÇAO SOBERBA!! das melhores que já vi, fiquei mesmo perplexo com o filme. Metáforas espectulares a alguns dos problemas do nosso mundo, referências e sátiras soberbas aos westerns, banda sonora íncrivel!! fartei-me de rir e adorei o filme! vamos ter um grande ano de cinema!!Qual toy story 3 qual quê!

    ResponderEliminar
  3. @ Anónimo: Eu concordo contigo, isto é entretenimento puro, eu adorei o filme! Das melhores animações de sempre e é inesquecível, sem dúvida. Isso da duração talvez seja um pouco exagerado da minha parte, mas 7.9 creio que é muito bom :).
    Obrigada pelo comentário, não hesites em partilhar a tua opinião!

    @ Pedro: Ai Pedronni Pedronni, estamos em sintonia xD. Animação soberba indeed, fiquei estupefacta.
    De facto.. qual Toy Story 3 qual quê =P. Rango tem que ser nomeado para algo !

    ResponderEliminar
  4. Deve ser o protagonista mais feio de uma animação
    Mas não por isso menos simpático, como exige a função
    Um camaleão metido a artista, que não sabe quem é
    Tal qual sua espécie, define: “posso ser quem eu quiser”

    Se depara no meio do nada, “Poeira” é nome sugestivo
    Com conversa fiada vira herói: “matei sete com um tiro”
    Daí parte o enredo, com sede, cheio de confusão
    Divide as atenções com uma caipira, seu par: Feijão

    A água é como petróleo: quem a possui tem poder
    Talvez complexo para um menor de 10 anos entender
    Algumas oscilações entre bom e regular: perdoáveis
    Cenas de ação e perseguição impecáveis, impagáveis

    No original, a voz de Johnny Depp é sem dúvida atração
    É ele quem dubla o principal personagem, o camaleão
    Não por acaso, nos Estados Unidos, é líder de bilheteria
    Em um fim de semana arrecada o dobro do que se esperaria

    Por ser infantil, claro, a lição de moral tem que existir
    Mentira tem perna curta e o herói tem que se redimir
    Adultos que gostam de animação podem ir sem problema
    Só uma sugestão: bebam água antes de entrar no cinema

    http://noticiaemverso.com
    twitter: @noticiaemverso

    ResponderEliminar