domingo, 6 de março de 2011

Passengers (2008)

"One accident. Ten survivors. One mystery to be solved."

Ontem à noite eu e a minha prima decidimos ver um filme. Sábado à noite e tal, tinhamos que fazer um bom serão! Eu fiquei responsável pela escolha e decidi enveredar por um filme de suspense que nunca tinha visto ou sequer ouvido falar. Esse filme foi o Passengers, protagonizado por Anne Hathaway. O que me suscitou o interesse foi o facto de não imaginar Hathaway a fazer um filme destes. O certo é que nem devia tê-lo feito. Vou já adiantar que me arrependo solenemente de ter escolhido Passengers para filme de sábado à noite... O filme convida-nos á sonolência e é totalmente esquecível.

Após a queda de um avião, um pequeno grupo de sobreviventes passam a ser consultados pela terapeuta Claire Summers (Anne Hathaway), especialista em traumas que procura minimizar os danos psicológicos dos sobreviventes, e também descobrir mais detalhes do incidente. Entretanto, envolve-se romanticamente com o mais misterioso dos sobreviventes, Eric (Patrick Wilson). Porém, à medida que o tratamento vai avançando, um a um os sobreviventes começam misteriosamente a desaparecer, o que faz com que Claire pense que haja uma grande conspiração por detrás do acidente e que a companhia aérea esteja a esconder alguma coisa. Com a ajuda de Eric, Claire tenta desvendar este enigma, mas será que estará preparada para se deparar com a verdade avassaladora?

A premissa do filme é potencialmente intrigante, mas não é a mais interessante. Aliás, roça o aborrecido, tornando-se ainda mais desinteressante pela maneira como foi concretizada. Até mesmo o suposto surpreendente final chega a não surpreender. A direcção de García é confusa e a sua tentativa de nos maravilhar com um twist falha redondamente devido à sua tremenda previsibilidade. Confesso que quase que me apanharam desprevenida, mas isto porque me debati durante o filme inteiro para não adormecer. O verdadeiro esforço até é esse, e não o de perceber o filme. Passengers é um filme extremamente mal elaborado de pouquíssimo suspense e sequencialmente sem nexo e entendiante. Basicamente corresponde a uma tentativa frustradíssima de fazer um bom thriller psicológico, mas o certo é que não há lógica nenhuma na história, e "sobreviver" ao filme é um desafio. Sinceramente, é um filme confuso e decepcionante.

A carismática Anne Hathaway é sem dúvida uma actriz com potencial. Porque é que ela haveria de escolher estes filmes horríveis? Ela não sabe escolher filmes, estou a ver. No entanto, desta vez o problema maior nem foi a escolha, mas a interpretação em si. O facto é que Hathaway neste filme está simplesmente mal, esperava mais dela. Outro problema reside na falta de originalidade, suspense, acção e de personagens memoráveis, o que torna este filme imensamente aborrecido. No entanto, para quem se identifique com este tipo de filmes, ou para quem adore a Anne Hathaway, são capazes de ficar satisfeitos. Mesmo assim eu acho difícil.
Não vou extender muito mais a crítica, pois este é daqueles filmes que simplesmente não valem a pena! E a questão nem é ser exigente ou não; Eu costumo ser exigente nos filmes em que criei expectativas, ora em relação a este filme não esperava rigorosamente nada, pois nada sabia da história. Mas a desilusão foi igualmente gigante. Não recomendo, só se tiverem problemas em dormir, que aí sim, este filme é solução!

EXAME

Realização: 5/10
Actores: 5/10
Argumento/Enredo: 5/10
Duração/Conteúdo: 4/10
Transmissão da principal ideia do filme para o espectador: 5/10

Média global: 4.8/10

Crítica feita por Sara Queiroz

Informação

Título em português:
Passageiros
Título original: Passengers
Ano: 2008
Realização: Rodrigo Garcia
Actores: Anne Hathaway, Patrick Wilson, David Morse

Trailer do filme:


7 comentários:

  1. Não simpatizo muito com Anne Hathaway e duvido que ela possa convencer como terapeuta. Aliás, o trailer me pareceu mais cômico do que qualquer outra coisa, hahaha.

    Agora estou com medo do que ela vai fazer como Catwoman em "The Dark Knight Rises". Christopher Nolan é um excelente diretor mas ele tem um histórico de escolher péssimas atrizes para seus filmes (à exceção de Marion Cotillard).

    ResponderEliminar
  2. Obrigada pelo comentário Alexandre! Sim, realmente Anne Hathaway não tem das melhores listas de filmes... E a credibilidade dela enquanto terapeuta é nula, acho que esteve infeliz neste filme. Mas mesmo assim acredito no potencial dela e creio que não desiludirá em 'The Dark Knight Rises'

    ResponderEliminar
  3. Não devias ter visto este filme Sarah. Tens de ver aqueles de terror francês que te falei ;)

    ResponderEliminar
  4. Olá Sara,

    Não conhecia ainda o vosso blog e tenho de dar-vos os parabéns, vale mesmo a pena visitar "depois do cinema"! :-)

    Quanto ao filme, não o vi, mas sou do nucleo que acredita que a AH é tudo menos uma boa actriz. Um producto de marketing bem planeado desde as origens e pouco mais...

    continuem assim ;-)

    ResponderEliminar
  5. Obrigada pelos comentários!

    Francisco: Sim, acredita que me arrependi bastante. É que tudo no filme está mal! Ai tenho mesmo, serão com certeza anos-luz melhor que este.

    Miguel: Bem-vindo, muito obrigada pela visita e pelas simpáticas palavras (: Ainda bem que é do teu agrado!

    ResponderEliminar
  6. Boas eu até que gostei, concordo que não é dos melhores filmes do género. Mas até que têm uma história interessante. Já agora, alguêm sabe filmes do género, mas melhores claro?

    ResponderEliminar
  7. Concordo que há um problema de time no filme. E até seria difícil compará-lo a outro sem comprometer entregar o final. Contudo devo dizer que ha filmes para se divertir e filmes que trazem algumas mensagens que vão além do passa tempo e que podem fazer uma conexão com o nosso sentido de vida. Ainda que um pouco complicado, a principio, o filme tem um recado importante sobre nossa consciência como ser humano e o que nos reserva em momentos chaves que ainda são discutidos, e para alguns descrentes ilógico, mas que diversos livros dentre psiquiatricos e filosóficos tentam abrir nossos olhos para a nossa realidade e como podemos ficar perdidos nesse momento chave da “vida”. Por isso vale a pena ver!!

    ResponderEliminar