sábado, 2 de março de 2013

The Loved Ones (2009)



Confesso que tenho tido alguma sorte. Todos os filmes que tenho visto ultimamente têm-me surpreendido imenso pela positiva. "The Loved Ones" é um soberbo filme de terror australiano escrito e dirigido pelo estreante Sean Byrne que, muito sucintamente, contém todos os elementos que um filme de terror deve ter para ser bem sucedido. A estreia do realizador não poderia ter sido melhor, e foi muitíssimo aclamado pelas críticas. Por cá, foi exibido na edição de 2010 do MOTELx, e tendo em conta a recepção positiva ao filme, estranhei que não tivesse tido distribuição nas salas de cinema. O que é, efectivamente, uma pena. É que este filme é simplesmente dos mais originais e arrebatadores da década, para além de ser o melhor filme de terror australiano desde 2005 ("Wolf Creek"), sendo de visualização obrigatória para todos os fãs do género.

"The Loved Ones" segue a história de Brent (Xavier Samuel), um jovem de 17 anos que vive em sofrimento pela morte recente do seu pai, num acidente de viação, e que tenta lidar com o descontrolo emocional da sua mãe. O seu único escape de felicidade é Holly (Victoria Thaine), uma bonita rapariga que é a barra de equilíbrio de Brent. Quando o baile de finalistas se aproxima  a tímida Lola (Robin McLeavy) convida Brent para o baile, só que é rejeitada a favor de Holly, o que a deixa desejosa de vingança, despertando o seu lado mais psicótico. Como já referi, este filme comporta vários elementos que o tornam bastante surpreendente, uma vez que são trabalhados de maneira muito inteligente e eficiente. O grau de tensão gerado é avassalador, muito ao estilo do grande filme dos anos 90 "Misery", pelo que é perfeitamente compreensível as comparações que fazem entre estes filmes (pelo menos em relação à personagem feminina). E podemos comparar a diversos outros, porque não é uma história 100% original, pelo que existem vários que abordam a temática. Mas uma coisa é certa: "The Loved Ones" carrega uma vertente pesada de violência bruta e explícita que é capaz de ferir susceptibilidades, mas o que o torna extremamente eficaz e, diga-se, original, é o facto de coadjuvar essa violência com a dimensão psicológica das personagens. Estas muito bem trabalhadas no meio de tanta cena violenta e sangrenta. Assistimos à verdadeira loucura a tomar conta das pessoas, sendo mesmo impressionante como o ser humano consegue ser cruel. No entanto, e ainda relativamente ao argumento, somos apresentados a algumas tramas paralelas, que para mim não funcionaram muito bem, ou pelo menos considero que eram dispensáveis, pois não contribuem em concreto para a narrativa. Pode eventualmente funcionar como contraponto à violência e sofrimento de Brent.
Mas à parte disso, o filme está bem construído sequencialmente porque a maior parte das coisas têm razão de ser e nada acontece por acaso. É muito surpreendente, e a realização está deveras eficaz: a densidade, as revelações e surpresas na narrativa, para além de uma descrição incrível das personagens elevam este filme a um patamar muitíssimo mais elevado do que outros do subgénero "torture-porn" (o que pessoalmente não consigo categorizá-lo assim, embora haja quem o faça).


A cinematografia, a edição e a banda sonora são outros grandes pontos a favor da película: a fotografia é extramemante bonita e impecável, em tons contrastantes que tornam o ambiente ainda mais perturbador, acompanhado de uma banda sonora de topo. São estas pequenas coisas que o tornam especial, pois conseguem brincar com o psicológico do espectador ao máximo.
E por falar em personagens, que são um sério destaque ao filme, há que falar nos actores que as interpretam. Robin McLeavy, que dá vida à sombria e implacável vilã Lola, recheada de ingenuidade, ironia, crueldade e sadismo, faz um trabalhado verdadeiramente formidável, sem nunca cair no exagero ou ridículo. Não fica atrás de grandes personagens clássicas de terror, atrevo-me mesmo a dizer...

"The Loved Ones" não deixa de ser uma película sobre a rapariga desiquilibrada que tortura o pobre rapaz que a rejeita. Mas consegue destacar-se imenso dos restantes que abordam a mesma temática. Não me surpreendia assim à imenso tempo, pelo que não posso deixar de recomendar este filme. Vejam e partilhem connosco a vossa opinião!

EXAME

Realização: 9/10
Actores: 8/10
Argumento/Enredo: 8.5/10
Duração/Conteúdo: 8/10
Transmissão da principal ideia do filme para o espectador: 8/10

Média global: 8.3/10

Crítica feita por Sarah Queiroz

Informação

Título original: The Loved Ones
Ano: 2009
Realização: Sean Byrne
Actores:  Xavier Samuel, Robin McLeavy, Victoria Thaine

Trailer do filme:

0 comentários:

Enviar um comentário