sábado, 23 de abril de 2011

Battle : Los Angeles (2011)


"We cannot lose Los Angeles."


Battle: Los Angeles era um filme que, por mais que prometesse que não iria ter muita expectativas, era insuprível ter. Guerra e alienígenas? São dois elementos que simplesmente adoro num filme!
Resumindo a história, Battle:Los Angeles retrata a invasão em diversos pontos do globo por parte de alienígenas, incluindo a cidade de Los Angeles. Um grupo de Fuzileiros, liderados pelo Sargento Chege Nantz (Aaron Eckhart) são destacados para salvar um grupo de civis que parecem estar na esquadra de Santa Monica. Eles encontraram diversos obstáculos no caminho, e têm que encontrar um caminho de volta para a Base Operacional, antes que uma bomba seja lançada precisamente onde se encontram. Numa corrida contra o tempo, os sobreviventes têm que lutar contra as forças extraterrestres e tentar manter as suas vidas.

A fórmula de uma invasão de alienígenas está mais do que cozinhada, mas eu sempre adorei. A história do filme funcionará dependentemente da nossa disposição; é imensamente realista e dá-nos noção de profundidade, focando-se na acção dos Fuzileiros e sobreviventes, tanto fisicamente como psicologicamente. Porém, não esperem que na trama seja tudo explicado, podem sair desiludidos. A partir do momento em que detectei alguns plot holes num argumento super previsível e consequentes falhas na concretização, o filme tornou-se impossível. Realço alguns “erros” que detectei, e que demonstra que o argumentista Chris Bertolini realmente tem ar na cabeça: boa, os alienígenas usam água como combustível, smart. Então, porquê invadir as cidades? Se estão mesmo à procura da água, podem absorver a água toda dos oceanos. Outro erro fantástico que detectei foi o facto de ao início os humanos dizerem apriori que os alienígenas não tinham apoio aéreo. Uau, como é que eles chegaram à Terra, mesmo? Ah, e quando os Fuzileiros matam um inimigo param durante 5 minutos para dizerem o “Urra!”; sim, os alienígenas esperam.

Jonathan Liebesman é o visionário por detrás deste "poderia-ser-bem-melhor" filme. Há diversos pontos que devem ser destacados na realização: todo o filme parece que tem ataques epilépticos sucessivos; sim, 90% do trabalho da câmara são closer-shots em irritantes sequências de shaky camera. Eu gosto deste estilo “realista”, e realmente é absorvente estar dentro da acção, mas chega a ser demasiado! Se o realizador não sabe dosear a shaky camera, pergunte a quem sabe. Concordo que queira injectar intensidade, caos e realismo, mas deve ter atenção a isso, pois chega a uma altura em que os nossos olhos começam a desistir. Num lado mais positivo, devo dizer que esta perspectiva realista de estarmos do lado dos soldados ao invés de cientistas e políticos e as suas "decisões importantes" é a única lufada de ar fresco. As sequências de guerra em si estão muito nervosas mas óptimas, eficazes e com acção constante (mas longe de serem comparadas a um Saving Private Ryan), como também adorei as naves dos alienígenas (muito ao estilo de District 9).
Outro aspecto a ser apontado é que todo o filme mergulha num poço chamado “Cliché”, em que a falta de originalidade impera, começando com as personagens: temos uma rapariga Sargento toda bad-ass, um Sargento Chefe que se quer reformar mas é chamado para um "último trabalho", um Tenente acabado de sair da escola que acaba por não conseguir lidar com a acção, um
rapaz asiático, um Cabo que parece ser bastante noob mas depois torna-se o melhor, etc. Não reconhecem estas personagens de outros milhares de filmes? A sorte é que as personagens até eram divertidas. Outros clichés durante o filme é aquela típica "chuva de meteoritos", o “oh meu deus, um alien vem aí! Oops, afinal era um cão”, os momentos de sacrifício "eu não saio daqui sem ti!" e outros que nem vale a pena referir, ao ponto de conseguir delinear o filme todo antes de acontecer. O filme torna-se monótono e repetitivo, seguindo-se na linha de “acção, drama, acção, drama” até ao fim.

Relativamente a actores, vou dizer pouco. Competentes mas exagerados, cada um caído no seu respectivo cliché. Destaque a Aaron Eckhart, que mesmo preso no cliché de Sargento Veterano consegue mostrar o seu calibre.

Concluindo, o filme é excessivamente grande e carregado somente com clichés de filmes de guerra. Nem os efeitos especiais salvam o argumento e o trabalho de câmara. Digo tristemente que o filme é uma desilusão. Se houver alguém que nunca viu nenhum filme de guerra, pode ser que este filme constitua uma grande novidade. Basicamente, é apenas um filme de guerra em que por acaso os inimigos são aliens. Sedentos de acção, vão adorar… se entretanto os olhos não caírem. Hoo rah!




EXAME

Realização: 6/10 
Actores: 7/10 
Argumento/Enredo: 5/10
Duração/Conteúdo: 4/10 
Efeitos/Fotografia: 7/10 
Transmissão da principal ideia do filme para o espectador: 7/10

Média global: 5.9/10

Crítica feita por Joana Queiroz

Informação 

Título em português: Invasão Mundial: Batalha Los Angeles
Título original: Battle: Los Angeles
Ano: 2011
Realização: Neill Blomkamp
Actores: Aaron Eckhart, Michelle Rodriguez

Trailer do filme:

10 comentários:

  1. Foste má com o filme... e sabes que mais? Não poderia concordar mais com a tua crítica.

    Durante o filme, fiz um jogo com os meus amigos: contar o número de clichés; quem descobrisse mais, ganhava. Sinceramente, ninguém ganhou nada, porque vimos o filme à mesma.

    ResponderEliminar
  2. Antes de tudo queria dizer que lá no fundo tinha alguma expectativa para este filme (ainda não tinha lido nenhuma crítica, nem tinha visto o trailer), pois gostava do tema, apesar de achar que iria ser típico e que não iria acrescentar algo de novo.

    Comento primeiro a tua crítica e depois o que achar que falta referir digo depois.
    Discordo quando dizes "os alienígenas usam água como combustível, smart. Então, porquê invadir as cidades? Se estão mesmo à procura da água, podem absorver a água toda dos oceanos". Presumo que querias dizer algo do tipo: "Porque é que não concentraram as forças apenas nos oceanos em vez de invadirem as cidades?!". Mesmo que seja isto que queiras dizer não concordo, pois assim os aliens estariam numa batalha exactamente no sítio onde eles não queriam, isto é, no sítio da extracção (oceanos). Os meios que retirariam a água estariam demasiado expostos e se houvesse uma falha na segurança lá se iam os "sugadores de água" (que não aparecem no filme mas eu estou a supor que existiam). Assim, foi muito mais inteligente atacar sítios com elevado número de humanos, para assim os humanos se concentrarem na terra e esquecerem completamente o mar. Acho que assim era muito mais seguro para o propósito dos aliens (sugar a água sem problemas), pois acho que o filme até demonstra que toda a tropa alienígena é apenas "carne para canhão". O único propósito deles era lutar e se morressem não fazia diferença, desde que ganhassem sempre as batalhas claro e ajudassem a servir o objectivo máximo. É um clássico "desviar da atenção" para um sítio onde dói mais, neste caso a invasão terrestre.
    Acho que quando eles quiseram dizer "apoio aéreo" seria algo como aeronaves que permitissem aos alienígenas moverem-se pela nossa atmosfera e executarem ataques aéreos, como as nossas forças aéreas, pois até lá apenas estavam a usar infantaria e os meteoritos que caíram no mar apenas eram naves de transporte e não de ataque.
    Concordo que houve demasiada "shaky camera" e demasiados "closer shots", parece mesmo um filme que sofre de epilepsia.
    Não gostei de qualquer das naves nem dos meteoritos. Achei-os nada originais. Os meteoritos, ou cápsulas de transporte, não são novos. As naves que tinham a habilidade de se agregar, são, para mim, donuts de sucata, sim porque os "aerodonuts" alienígenas não são novos, estes apenas têm a originalidade de parecerem sucata, que não é assim tão original.
    As naves principais, ou "command centers" era um enorme agregado de sucata. A sério, parece-me que os aliens pegaram na sucata, amontoaram-na toda e fizeram daquilo naves *facepalm*. A nave do filme "Distrito 9" esteve vários anos enterrada (se não me engano) e tem melhor aspecto. Até a certa altura do filme pensei e ri-me: "Isto parece mais sucateiros vs resto da humanidade!". As naves estavam horríveis e mesmo a sucata não as torna originais, pois já houve outras pessoas que se lembraram de fazer as naves autênticos amontoados de desperdícios...
    Não achei inovador o facto da acção se passar na perspectiva dos soldados e todo o amontoado de clichés também não ajudou.
    Os actores não tornaram o filme melhor do que aquilo que poderia ser e não me lembro de alguma altura em que não achasse as suas representações "típicas". Isto mais por culpa da "base" do filme do que deles próprios.
    Como disseste a história era previsível e era raro quando não se adivinhava o que iria acontecer a seguir.

    ResponderEliminar
  3. Continuando...

    Agora aquilo que gostava de sublinhar.
    A infantaria alien também não é original, fizeram-me lembrar uma personagem dos Power Rangers, o Alpha 5. Então a cabeça não me fazia pensar outra coisa durante todo o filme. Também o facto de serem feitos à nossa imagem é demasiado típico. Até o órgão deles que caso fosse destruído resultava em morte imediata do alien, estava no mesmo local que o nosso coração!
    Aliens vindos de longe para serem quase iguais a nós?! Um pouco de originalidade, sff. Acho que estamos fartos de ver aliens humanóides ou muito parecidos com outros animais da Terra.

    Acho que este filme é ideal para quem nunca viu nem filmes de guerra, nem filmes de aliens e/ou aliens vs humanos, pois se o virem apreendem todos os clichés destes temas duma vez só.

    Reparos:
    - Não era "uma bomba", mas várias bombas que iam ser lançadas num "corredor".

    Por agora não me lembro de mais nada.

    ResponderEliminar
  4. @ Anónimo: Excelente jogo xD. Eu apostava noutro: o primeiro a adormecer ganhava, porque não via o filme :D!

    @ José: Relativamente à nossa divergência relativamente ao que disse sobre a água, mantenho o que digo. Compreendo o que dizes, e até tens um bom ponto de vista, mas lá está, tu não sabes como é que são esses "sugadores de água". Talvez houvesse possibilidade de sugar a água mais rapidamente. Não sei se te lembras , no filme, alguém disse que os aliens estavam a tirar água para combústivel e isso já se verificava no nível dos oceanos: estavam mais baixos. Ora, isso é um absurdo total (e nem sei como é que não referi)! Para isso acontecer, para baixar o nível médio das águas do mar a 1 cm que fosse, era necessário uma quantidade estupenda de água retirada pelos aliens. A água cobre 3/4 da Terra, 1 360 000 000 km cúbicos. Para baixar o nível dos oceanos, são necessários milhares de km cúbicos. E realmente, segundo o filme, isso aconteceu; Portanto, a minha teoria de extracção imensamente rápida até está correcta.
    Mas pronto, eu sei que é algo meio parvinho de se pensar, mas poderia estar melhor abordado. Poderia haver uma explicação mais gira para o ataque aos humanos e devastação das cidades.

    Quando disse aquilo sobre o apoio aéreo foi mais do género os humanos suporem logo que os aliens não iriam ter apoio áereo e assim o Homem dominaria a componente aérea. Achei mal, porque realmente se os aliens vieram numas naves todas XPTO é porque sooner or later iria haver naves mais pequeninas.

    Em relação aos meteoritos, concordo, nada originais; aliás, em cada filme deste género os aliens vêm sempre de alguma chuva de meteoritos. Já as naves achei-as muito giras, mas sim, nada originais pois são iguaizinhas ao magnífico District 9.
    Não disse que era propriamente "inovador" ser na perspectiva dos soldados, mas era uma lufada de ar fresco porque ultimamente vê-se sempre na perspectiva dos políticos que "tomam as decisões importantes".

    Sim, os aliens não são originais, e acho-os mesmo personagens secundárias. Como disse, não passam de um "contexto de desculpa", são os inimigos por acaso. Aliens ou humanos, seria exactamente a mesma coisa. Os aliens são uma desculpa dos filmmakers para trazer uma componente de ficção científica à trama. Infelizmente, não resulta. O trailer está imensamente bom porque parece que é a coisa mais original do mundo, um mix excelente de sci fi e war; é esse o mal do filme, o trailer está ÓPTIMO.

    ResponderEliminar
  5. continuação @ José: Em relação ao meu "erro": pronto, bomba, bombas, uma mega bomba xD... Enfim.

    Obrigada pelo teu comentário ;)

    ResponderEliminar
  6. Sim, eles não explicam nada e falham aí e sim eram precisos muitos "sugadores" XD Mas continuo a achar que faz sentido a invasão dos aliens das grandes cidades, como já expliquei. Agora se eles fizeram o filme assim a pensar nisso é outra história e sinceramente não acredito que eles tenham pensado nisso :)

    ResponderEliminar
  7. Já não esperava grande coisa, agora então... menos ainda!

    http://filme-do-dia.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  8. Mais uma excelente crítica :)

    Gostaria de saber a vossa opinião sobre o filme ''Kick-Ass'' se fosse possível

    ResponderEliminar
  9. Tirando a campanha publicitária muito bem construída, todas as pessoas receavam o que Battle LA podia ser: Uma compilação de inúmeros filmes anteriores.

    Abraço
    Frank and Hall's Stuff

    ResponderEliminar
  10. Parece ser bem ruim, huahuahua.

    http://cinelupinha.blogspot.com/

    ResponderEliminar