domingo, 24 de outubro de 2010

A Troca - The Switch (2010)


A comédia mais inesperada alguma vez concebida?

Não tinha planos de ver este filme; sabendo que seria com Jennifer Aniston, já estava a advinhar o tipo de comédia que seria : transbordada de clichés e o típico final feliz e romântico. Gosto muito da actriz, mas parece que só está nesta linha de filmes. Por favor Jenny, vai para papéis mais desafiantes!
Contudo, The Switch revelou ser mais do que isso. Estava com expectativas muitíssimo baixas, e até foi bom porque assim deu espaço para me surpreender.

Wally (Jason Bateman) é uma pessoa neurótica que é apaixonado por Kassie (Jennifer Aniston), mas nunca teve a coragem para lhe dizer - para ela, ele é simplesmente o seu melhor amigo. Kassie sente que a altura de ser mãe é agora, e que não pode esperar mais. Assim, decide ficar grávida por inseminação artificial, e escolhe o seu dador: Roland (Patrick Wilson). Wally despeja acidentalmente o sémen doado. A solução é rápida: substitui o sémen de Roland pelo seu próprio, nessa noite em que estava tão embriagado que nem se lembra de o fazer. Kassie parte para outra cidade, e volta sete anos depois, com o seu filho Sebastian. Wally verifica que o filho de Kassie tem inúmeras semelhanças com ele; Wally vai-se lembrando da noite da "troca" de sémen. Será que Wally reunirá a coragem suficiente para contar a Kassie, há medida que esta se aproxima cada vez mais de Roland ? 

A prestação dos actores é razoável. Eu simplesmente adorei o Jason Bateman, fez-me idolatrar a personagem que interpretou: negativista, neurótico, divertido e sarcástico. Fez-me rir imensas vezes e foi muito sólido. Jennifer Anniston, por outro lado, manteve-se na mesma linha de sempre, o que não é bom. Ela interpreta sempre a mesma personagem, apesar de notar uma ligeira divergência neste filme. Já tinha tantas saudades de Jeff Goldblum (Dr. Ian Malcom do Jurassic Park :D)! A sua interpretação foi mediana, com as suas intervenções cómicas devidamente equilibradas. Juliette Lewis fez o papel da "amiga da protagonista", demasiado eléctrica, não gostei de a ver. Quem foi completamente adorável foi o filho Sebastian, é um miminho vê-lo, vale por tudo.

O filme é realizado por Will Speck e Josh Gordon. Não realizaram uma má comédia, mas exageraram em diversos aspectos como
por exemplo: será que as pessoas fazem mesmo festas em que convidam o dador de esperma e em que chega mesmo uma altura em que o dador tem que dar o seu "ingrediente" na altura ? É pouco provável.
Considero que o argumento não é nada por ali além, com clichés ali e acolá. Mas a premissa é desenrolada equilibradamente, sem se apressar muito. Porém, e como já referi anteriormente, há partes forçadas em que os realizadores parecem desesperados por drama. O filme é grande, é demasiado grande para o "pequeno" conteúdo que tem. Poderá haver pessoas que o achem aborrecido.

O filme é "watchable", isto é : vê-se bem, e não é tão mau como poderá parecer. Se um dia estiverem muito aborrecidos numa daquelas típicas tardes, vejam o filme. O filme está longe de ser perfeito e excelente, mas é melhor do que outras comédias que hoje em dia aparecem.


EXAME

Realização: 6/10
Actores: 7/10
Argumento/Enredo: 7/10
Duração/Conteúdo: 6/10
Transmissão da principal ideia do filme para o espectador: 7/10

Média Global: 6.6/10

Crítica feita por Joana Queiroz

Informação

Título em português: A Troca
Título original: The Switch
Ano: 2010
Realização: Will Speck e Josh Gordon
Actores: Jennifer Aniston, Jason Bateman, Juliette Lewis, Jeff Goldblum

Trailer do filme:


3 comentários:

  1. Fui ver este filme ao cinema à coisa de 1 mês mas não era para o ir ver- eu e uma amiga minha éramos para ir ver outr filme mas como ja não havia bilhete fomos ver este. Pensava que seria bem pior, mas ate ficou acima das minhas expectativas. A criança qu faz de Sebastian é realmente uma doçura (mas realmente devia ter os olhos azuis) e as coisas de "ipocondria" dele são lindas. A premisa é boa, mas realmente o filme tem por vezes a sua coisa de ficção. É uma boa comédia romÂntica mas nonetheless ainda uma comédia romântica que não se autonomiaza muito do género- a mwlhor comédia romântica que já vi foi mesmo o Love Actually- O Amor Acontece.

    ResponderEliminar
  2. Sim, as crises do miúdo são fenomenais, he stole the show, completamente. =P

    Estou a pensar em fazer uma crítica ao Love Actually por acaso =).

    ResponderEliminar
  3. filme é até que legal... domingão chuvoso sem nada pra fazer, da pra encarar...

    ResponderEliminar