domingo, 7 de outubro de 2012

Grave Encounters 2 (2012)


Após o relativo sucesso de Grave Encounters (2011), The Vicious Brothers retomaram a sequela enquanto argumentistas, uma vez que foi o estreante John Poliquin que tomou desta vez o lugar de realizador. Confesso que estava bastante expectante em relação a esta sequela, pois devo dizer sou bastante fã do primeiro. Claro que não é, de longe, perfeito, mas conseguiu proporcionar bons momentos de entretenimento. Mas lá está, o preconceito generalizado de que as sequelas são sempre sofríveis conseguiu, ainda assim, invadir-me o pensamento. Especialmente neste caso, pois o final do primeiro filme deixou-me dos maiores pontos de interrogação a pairar na minha cabeça, de sempre. Não sabia mesmo o que esperar da sequela... Pois bem, Grave Encounters 2 surpreendeu-me, na medida em que se apresenta como uma sequela bastante aprimorada: arrisca a mais níveis que o original, continuando a ser igualmente assustador e bizarro. Mas não é mais do mesmo? Detém a mesma energia frenética que o primeiro? Sim e não.



Em relação ao aspecto mais positivo de Grave Enconteurs 2, tenho que destacar a solidez do argumento. Agora é em Alex (Richardo Harmon), um aspirante realizador, que o filme se foca. Obcecado em saber se os eventos de Grave Encounters são reais ou não, Alex e mais um grupo de amigos decidem investigar o temível hospício para verem por eles próprios o que realmente aconteceu... Claro que, tal como o seu antecessor, continua envolto alguns clichés, mas penso que melhorou consideravelmente, para além da construção da história e a ligação ao primeiro filme estarem absolutamente perfeitos. Consegue despertar o interesse e mantê-lo durante todo o filme e não falha na antecipação que cria.

Poliquin conseguiu trazer ao filme uma nova vitalidade, pois mantêm-se o vibe e o ambiente do primeiro filme, ao mesmo tempo que providencia um maior nível de realismo e originalidade. Para estreia, esteve bastante bem. Aliás, é difícil apontar erros na sua visão. Juntamente com o argumento dos The Vicious Brothers, quase que é possível apreender que Grave Encounters 2 é uma sequela perfeita. Só que... Oh não, o temível terceiro acto acontece. A sério que não percebo. Caiu-se no mesmo erro que o primeiro: os momentos finais quase que deitavam tudo por água abaixo. Porque é que hoje em dia é complicado para os filmes chegaram a um final satisfatório? Tira-me do sério que bastantes minutos do filme tenham sido desperdiçados em cenas desnecessárias e que se tenha tomado determinado rumo. Foi preciso mesmo chegar aos últimos minutos para melhorar. Enfim, se calhar até é propositado, mas é uma canseira para se chegar lá. É que o filme acaba por se tornar fragmentário, para além de algumas técnicas de câmara serem menos bem sucedidas.

Outro dos grandes méritos do filme reside nas suas personagens. O elenco é bastante impressionante e autêntico, proporcionando ao espectador o realismo necessário para nos levar a crer que é mesmo verdade os acontecimentos que estão a ocorrer. Em Grave Encounters 2 houve a preocupação de desenvolver melhor as personagens, o que é de louvar. Acompanhamos melhor se tivermos algo mais para nos podermos relacionar. É que, como já referi, a atmosfera do filme está imensamente envolvente e exacerbada, e isso coadjuvado com personagens interessantes, é um grande trunfo. E é claro, o regresso de Sean Rogerson do original também é óptimo. Aliás, é brilhante, especialmente quando é uma personagem tão familiar ao mesmo tempo que irreconhecível...


Film Review: Grave Encounters 2 (2012) Grave2Pix1 É inevitável estabelecer comparações entre a sequela e o original, mas felizmente este não é dos casos em que a sequela falha redondamente. Apresenta uma grande solidez narrativa, personagens bem construídas e credíveis, boa atmosfera com uma pitada de originalidade e, claro está, é imensamente apelativo e assustador. Não obstante algumas falhas, é uma sequela que vale mesmo a pena dar uma olhadela. Quem gostou do primeiro vai definitivamente gostar deste, pois está melhor que o original. Detém vários elementos que o tornam mais interessante, apesar de, tal como o primeiro, estar longe da perfeição. Mas está mais "amplificado" a todos os níveis, e é inteligente ao ponto de saber o que os fãs querem, e inova à mesma. Acho que não se pode esperar melhor de uma sequela.


EXAME


Realização: 7/10
Actores: 7/10
Argumento/Enredo: 7.5/10
Duração/Conteúdo: 7/10
Transmissão da ideia principal do filme para o espectador: 7/10

Média Global: 7.1/10

Crítica feita por Sarah Queiroz

Informação

Título original: Grave Encounters 2
Título em português: Grave Encounters 2
Ano: 2012
Realização: John Poliquin

Trailer:



VER TAMBÉM

- Grave Encounters (2011)

- TOP 10 Filmes Found-Footage

5 comentários: