terça-feira, 11 de maio de 2010

A Noiva Cadáver (2005)

"Loving You Is Like Loving The Dead."

Receio que vá ter que me repetir: Tim Burton é dos realizadores mais geniais de sempre. Cada filme que realiza é uma dádiva para o cinema. É um realizador incansável que não pára de me surpreender com a sua originalidade e genialidade. A sua fonte de inspiração parece interminável pois tem sempre algo de novo para mostrar, e já o provou com os diversos títulos que nos proporcinou: os filmes de Tim Burton têm sempre o seu estilo próprio.

"A Noiva Cadáver" não é excepção, sendo outro grande título por parte do realizador. Voltando às sua técnica de animação stop-motion, popularizada com o filme "Nightmare Before Christmas" 10 anos antes, "A Noiva Cadáver" apresenta-se como um filme surpreendente, cómico, assustador e dramático! Não deixem que o facto de ser um filme de animação vos leve a pensar que o filme é só para crianças. Nada disso. O filme tem um argumento até bastante sério, com o ambiente gótico e as temáticas de vida e morte envolventes, misturado com a vertente cómica e alegre, o que faz com que "Corpse Bride" seja uma miscelânea de sensações e por isso mesmo recomendado para imediata visualização, se ainda não o viram.

O filme passa-se no século XIX e centra-se na aborrecida vida de Victor (Johnny Depp). Este tem casamento marcado com Victoria (Emily Watson), apesar de nunca se terem conhecido. Depois de ensaiarem cuidadosamente, e muitas vezes, o seu próprio casamento e Victor falhar completamente, este vai para o bosque praticar e simula a cerimónia enfiando a aliança num galho. Para sua surpresa e desespero o galho era mesmo um dedo de Emily (Helen Boham-Carter),a "Noiva Cadáver", que alega agora ser a sua noiva legal, desconhecendo que Victor não tinha qualquer intenção de casar com ela e que tudo é apenas um grande mal entendido.
Victor é assim arrastado para a Terra dos Mortos, em que se depara com uma realidade completamente diferente da que se deparava na Terra dos Vivos. É um sítio muito mais alegre, colorido e vibrante do que a Terra dos Vivos, que no filme é um sítio triste, monótono de tons cinzento. Tim Burton elabora aqui a sua crítica social, apresenta-nos uma ambiguidade e consegue um grande eufemismo relativamente à morte, encarando-a com um grande positivismo, e até melhor do que a vida. Na minha opinião é isso que faz o argumento de Burton tão inteligente. Também nos deparamos com as temáticas do amor não correspondido e da amizade, o que fazem com que "A Noiva Cadáver" seja um filme bastante tocante (o título do filme pode enganar um bocado e parecer ser de terror, mas é uma história de amor bastante bem conseguida e emocional, não obstante os seus toques "dark"). O final surpreendente do filme é que não me agradou, particularmente.

Claro está que, em termos visuais, o filme não desilude, como esperado de qualquer filme Tim Burton. A animação está bastante satisfatória, e como já referi, é a mesma utilizada em "Nightmare Before Christmas". Só tenho a dizer que, com o trabalho que este filme deve ter dado, com certeza que o seu produto final compensa o enorme esforço. As personagens estão muito bem feitas, e o que me agrada neste filme, é que são personagens tão fáceis de se gostar e de nos podermos identificar. E é aqui que devo salientar o magnífico trabalho por parte dos actores. Todos foram verdadeiramente impecáveis, até é me difícil destacar apenas um. Desse modo, vou generalizar, portanto, considero que todos estiveram excelentes.
"A Noiva Cadáver" sem o compositor Danny Elfman também não seria a mesma coisa. A banda sonora do filme está 5 estrelas. As principais cenas do filme contam com músicas fenomenais, é por isso que a colaboração Elfman-Burton é quase sempre constante. O impacto de muitas cenas de muitos filmes de Tim Burton devem-se a este senhor.

É um filme que me impressionou pela positiva, obrigatório para todos os fãs de Tim Burton e não só! Já o vi mais que uma vez e conseguiu sempre retirar de mim as diversas emoções: riu-me sempre que nem doida nas partes cómicas e o fim coloca-me sempre no papel de uma Maria Madalena a chorar. Imperdível!


EXAME

Realização: 8/10
Actores: 9/10
Argumento/Enredo: 7/10
Banda Sonora: 9/10
Duração/Conteúdo: 7/10
Grafismo: 7/10
Transmissão da principal ideia do filme para o espectador: 8/10

Média Global: 7.8/10

Crítica feita por Sara Queiroz


Informação

Título em português: A Noiva Cadáver
Título Original: Corpse Bride
Realização: Tim Burton
Ano: 2005
Actores: Helen Bonham Carter, Johnny Depp, Emily Watson, Christopher Lee

Trailer do filme:


3 comentários:

  1. Lembro-me que quando o vi não gostei dele. Porém confesso que ainda não tinha maturidade para gostar desse tipo de filmes.
    Sem dúvida que terei de o ver novamente.

    ResponderEliminar
  2. Olá Sarah,

    Sou leitor do Depois do cinema... e sou cinéfilo de carteirinha. Eu estou mandando esse email porque estou trabalhando numa empresa que desenvolveu um portal sobre cinema - o Cinema Total (www.cinematotal.com). Um dos atrativos do site é que você cria uma página dentro do site, podendo escrever textos de blog e críticas de filmes. Então, gostaria de sugerir que vocês também passassem a publicar seus textos no Cinema Total - assim vocês também atingem o público que acessa o Cinema Total e não conhece o Depois do cinema....

    Se vocês gostarem do site, também peço que coloquem um link para ele no Depois do cinema... .

    Se você quiser, me mande um email quando criar sua conta que eu verifico se está tudo ok.

    Um abraço,

    Marcos
    www.cinematotal.com

    ResponderEliminar
  3. Uau, mais uma pessoa da FDL que adora cinema ! Juro que é revigorante. Há uma semana pensava que era o único.

    Tenho a dizer que também gostei muito do teu blog - já calculava que escrevesses bem, mas confirmei; deu-me gosto ler as tuas críticas. Li Reservoir Dogs e Pulp Fiction e, apesar das trocas que fazias, e de não ter gostado tanto de Reservoir como tu, sim, concordo com a maior parte. Muito bem.

    Tens lá uma crítica a um filme que está na minha lista e que, dada a classificação que lhe deste, sobe já uns lugares: Amadeus.

    Agradeço imenso os elogios, e não posso deixar de dizer que também adorei o teu. Ah e esteticamente, nem vou falar. Que coisa pobrezinha o meu ahahah.

    Também já te adicionei ; ) continua com o bom trabalho. Vou passando cá.

    ResponderEliminar