segunda-feira, 3 de maio de 2010

Clash of the Titans (2010)


Between gods and men, the clash begins.

Mitos, filosofia, elementos trágicos. Viciados em God of War, a mitologia grega está de volta com este Clash of the Titans. Hollywood não perdeu tempo em lançar um filme com esta temática,que aproveita o sucesso da saga de jogos playstation God of War. Sendo sobre mitologia grega, prometia ser épico. E também, é mais um filme 3D nos cinemas. O filme tem efeitos especiais soberbos, no entanto a premissa não é bem desenvolvida. Estava muito entusiasmada para ir ver este filme, mas tinha certas exigências. Clash of the Titans constitui o remake do filme de 1981 com o mesmo nome, baseado no mito de Perseus. Para os fãs do original, tenho uma má notícia: o filme será uma nódoa para vocês. Para os fãs de 3D: podem tirar os óculos durante o filme, e reclamem os dois euros extra. Ou simplesmente não levem os óculos.

O filme é realizado por Louis Leterrier e conta com as interpretações de Sam Worthington, Liam Neeson e Ralph Fiennes nos principais papéis. Começa por nos contar a história de três deuses que combateram os Titãs: Zeus, Hades e Poseidon. Os Titãs foram derrotados pelo monstro Kraken, obra de Hades; depois da derrota dos Titãs, Zeus criou os humanos e governava o Olimpo, enquanto Poseidon governava o mar. Hades, sendo traído por Zeus, foi condenado ao submundo. A acção rapidamente muda, centrando-se na história de Perseus (Sam Worthington). Apesar de ter sido criado por humanos é, na verdade, um semideus, fruto do amor entre a mortal Danae e Zeus (Liam Neeson), o rei dos deuses. Quando Hades (Ralph Fiennes), deus do submundo e irmão de Zeus, decide matar a família de Perseus, este, em busca de justiça, jura vingar-se. Mas o destino de Perseu é muito mais grandioso do que uma simples vingança e, liderando um grupo de soldados, terá que unir esforços com o seu pai e derrotar Hades e Kraken, o seu colossal monstro marinho.

Um filme que prometia ser avassalador, falhou na concretização da sua premissa. A história não é perfeita e deixa muito a desejar, sendo inconsistente e vazia. Prometia ao início, e realmente há a sensação de querermos saber o que vai acontecer. Contudo, a acção é demasiado acelerada e previsível. O filme falha no estabelecimento de ligações com as personagens; não se consegue identificar com nenhuma, pois não são nada aprofundadas. A narrativa é de tal modo rápida que parece que estamos a ver marionetes sem sentimentos a andarem numa montanha russa. O argumento não é sólido e não é 100% fiel à mitologia grega. No entanto, as sequências de acção constituem um ponto positivo, são simplesmente brilhantes!

A realização não está má, Louis Leterrier consegue captar a atenção dos espectadores do início ao fim, quer seja com as magníficas sequências de acção, quer com os cenários e paisagens. Clash of the Titans está igualmente bem filmado e cativante. No entanto, o diálogo, na minha opinião, não é muito bom. Momentos de humor puro (excelentes), sim, mas de resto não tem conteúdo relevante. Outro aspecto menos positivo é a duração. Achei-o relativamente pequeno,não há espaço para a consolidação do argumento nem das personagens. Mas para a duração que tem, a acção está muito bem distribuída, não havendo momentos mortos; não ficarão aborrecidos.

O filme não falha na sua componente visual, superando todas as expectativas. De realçar a Medusa, apesar de se ver que não é real, está muito boa. Para não falar no Kraken: de fazer cair os olhos, perfeito. Os restantes monstros e criaturas também estão excelentes. Porém, o 3D neste filme não resultou. Clash of the Titans não foi idealizado para 3D, sendo convertido em cima da hora. Infelizmente, não se consegue tirar partido desta tecnologia, não explorando as suas máximas potencialidades. Não provoca a espectacularidade nem o impacto desejado nos espectadores. Pagar 7,90 por um filme que se via perfeitamente em 2D é muito frustrante, é mesmo nos créditos finais que o 3D brilha. Bem... nem todos são o James Cameron, não é verdade?


Liam Neeson e Ralph Fiennes interpretam o papel de Zeus e Hades, respectivamente. Dois actores muito experientes (adoro o Ralphy), mas neste filme não são avassaladores, como seria de esperar. Considerei a personagem Hades muito imponente e bem representada, já Zeus deixou-me de queixo caído: negativamente. Deu-me vontade de rir, sinceramente, parecia um Carnaval que acabou mal. Sam Worthington não este horrível, mas não é versátil e o diálogo pobre não o ajudou em nada. Dos restantes actores, não tenho muito a dizer, pois não houve nenhuma interpretação que se destacasse.

Tenho pena que Clash of the Titans tenha sido esmagado pelas críticas e que não tenha sido um clássico. Apesar das falhas, tinha potencial. Alguns ficarão desapontados, outros irão odiar, outros gostar bastante. Pode parecer que só tem aspectos negativos, mas não: tem aspectos muito positivos, como a acção e os efeitos. É um filme de acção razoável, mas não cumpre os objectivos. Na minha opinião,que até gostei do filme, vê-se muito bem e agradará algumas minorias.

Definitivamente, não é Crap of the Titans, mas, apesar de ter tido potencial para tal, não é nem será épico.

EXAME

Realização: 6/10
Actores: 6/10
Argumento/Enredo: 5/10
Duração/Conteúdo: 6/10
Efeitos/Fotografia: 8/10
Transmissão da ideia principal do filme para o espectador: 6/10

Média Global: 6/10

Crítica feita por Joana Queiroz



Informação

Título em português: Confronto de Titãs
Título Original: Clash of the Titans
Realização: Louis Lerretier
Ano: 2010
Actores: Sam Worthington, Ralph Fiennes , Liam Neeson


Trailer do filme:


3 comentários:

  1. "Contudo, a acção é demasiado acelerada e previsível."

    O problema de todos os blockbusters actuais. Por isso é que nem me sinto cativado a ir vê-los, nem quando há a promoção de 2 bilhetes por 5€, quanto mais a 7.90€ por um bilhete ._.

    Keep up the good work.

    Nascimento

    ResponderEliminar
  2. De facto este filme esteve um pouco abaixo das minhas expectativas. O desenrolar da acção foi um tanto previsivel, nenhuma personagem se destacou excepto Hades (Ralph Fiennes), 3D sem grande qualidade, comparativamente a outros filmes que já vi. Mas no fim pode-se dizer que foi um filme agradável de ver pelas diversas cenas de acção, principalmente a da Medusa e a do Kraken. Absolutamente perfeitas.


    inÊs

    ResponderEliminar
  3. Sinceramente e comparativamente à época em que este remake e o original foram feitos, perfiro muito, mas muitoooooo mais a versão original!!! Eu nasci a adorar o filme original por isso sou suspeito...

    (+-) Se bem que para quem não conheça a versão original nem é um filme mau de todo...
    (--) Acho sou daqueles poucos que ficou de rastos quando viu a menodesprezarem a coruja de ferro ao inicio do filme e a porem-na de lado como de um ferro felho se trata-se... aqui vai um grito, inutil, mas que percisa de ser feito por parte de um fan: "quere-mos a corujinha!!!"
    (-) Algo que estava na espectativa de ver era o confronto com a Medusa, por fazer parte da imagem do cartaz, e por já ter visto à bem pouco tempo em filmes feitos apartir de livros, com um conteúdo visualmente não tão "sério" como este, boas caracterizações de Medusa! ... E fiquei desiludido... foi fraquinho mesmo, até a da versão original metia mais respeito! Para além do mais a cara que mais de ver (subentenda-se cara, a face com as cobras) de uma daptação de Medusa, foi a mais recente com o filme Percy Jackson & the Olympians: The Lightning Thief ... aquelas cobras eram algo digno de se apreeciar!
    (+) Nova Cara de Kraken uma delicia para os olhos! Parabéns a quem o desenhou!
    (...) Pégasus que é Pégasus deveria ser branco ...


    Classificação:
    (1981)(atendendo à data):(19/20)
    (2010)(atendendo à data):(13.5/20)

    ResponderEliminar