sábado, 1 de dezembro de 2012

Wrath of the Titans (2012)


Ainda não é desta.

Talvez pela franquia de jogos playstation God of War ser das minhas favoritas de todos os tempos, um filme como Wrath of the Titans, à primeira vista,  acaba por ser visto de bom grado - pois incorpora todos os elementos necessários. Mas o filme acaba mesmo por ser só isso. Tem apenas os elementos - as personagens estão lá, os cenários estão lá, os efeitos estão lá. Infelizmente, "só" falta é encaixarem essas peças num puzzle coerente que se reflicta numa boa e sólida história. Acham este facto vagamente familiar? Pois claro, o mesmo se passou com o primeiro filme Clash of the Titans. Lamento informar os leitores que esperavam um upgrade do primeiro para o segundo: Wrath of the Titans não fez a maravilha e raridade de superar o primeiro, também porque se por sistema o material já é fraco, não há muito por onde trabalhar.

Fazendo aqui um breve resumo da história: passaram dez anos após Perseu (Sam Worthington) ter derrotado o terrível Kraken e ter recusado a oferta para ocupar um lugar no Olimpo. Agora, tem um filho chamado Helius (John Bell) e vive como pescador anónimo numa vila modesta. A vida vai correndo e eis que, um dia, Zeus (Liam Neeson) visita Perseu e avisa que o Olimpo tem os dias contados, pois os Deuses estão a perder os poderes. Assim, as paredes de Tártaro ameaçam ruir, o que significa que os Titãs - inimigos dos Deuses - estão prestes a libertar-se e com sede de vingança. Assim, Perseu vê-se obrigado a lembrar-se que é um semideus e a voltar às batalhas, a fim de evitar que o mundo acabe e assegurar a sobrevivência do seu filho.

Um facto adquirido é que os efeitos especiais são soberbos, como não poderia deixar de ser - contudo, não salva a película. Para ser uma obra cinematográfica minimamente razoável tem de ter uma história sólida, ou pelo menos ter uma história. O segundo filme simplesmente não tem argumento, ponto final parágrafo. Ao menos ainda podemos dizer que Clash of the Titans tinha, por mais incoerente que fosse. Acontece que este Wrath of the Titans nem um argumento per se, bem estruturado, tem. Não há uma estrutura narrativa sólida e bem definida, tudo acontece porque sim.  E aqui é onde me zango severamente, pois este é um exemplo daquele tipo de filmes que me irrita imenso. Tem tanto, tanto, mas tanto potencial; bastava ser melhor pensado e sem pressa, poderia seria incrível. Acho é que o argumento deveria ser encarado de outra maneira: melhor estruturado, melhor trabalhado, mais interessante. Aqui não posso deixar de comparar à saga God of War, pois esse jogo sim tem uma história de chorar por mais e com um princípio, meio e fim. God of War tem uma narrativa sólida e explosiva, e era o que se pedia aqui nesta Fúria de Titãs.

Já referi anteriormente que os efeitos são de topo e volto a sublinhar esse facto. Todos os cenários são de encher a vista. Destaco Chronos, que há semelhança do Kraken do primeiro filme, está muitíssimo bem feito. Chronos é tudo o que eu imaginava num possível filme do jogo God of War. Para quem não sabe, Chronos é um dos titãs que Kratos (o protagonista do jogo) luta, e é um dos melhores bosses para derrotar. E, no filme, proporciona excelentes momentos de acção. Contudo, considero que o último acto de Wrath of the Titans acaba por desiludir, foi tudo muito rápido.
Outro aspecto que devo referir é que me desiludi um pouco com os deuses Ares e Poseidon - imaginava-os mais "imponentes". Mas a conceptualização das personagens de uma maneira geral melhorou relativamente ao primeiro, aqui encontram-se melhor caracterizadas. Porém, e isso já tem a ver com falhas estruturais da história, as personagens não são devidamente bem exploradas. Falta aqui uma boa dose de profundidade e carisma.
Relativamente a interpretações de actores... o que se pode dizer? Sam Worthington demonstra mais uma vez a sua falta de vulnerabilidade e veste aqui a pele de Sam Worthington (and please, lose the hair!). Ralph Fiennes e Liam Neeson, dois grandes nomes, até que acrescentam algo a esta obra, mas nada de mais.

Para concluir, e à semelhança da minha análise do filme anterior, devo dizer que não é "crap of the titans" ou, neste caso, "wreck of the titans", mas desilude. Fica um pedido desesperado de alguém que não gosta de ver sagas mitológicas desperdiçadas e sem coerência alguma: Peter Jackson, quando acabares a trilogia The Hobbit começa a pensar num possível God of War.


EXAME

Realização: 5/10
Actores: 6/10
Argumento/Enredo: 3/10
Duração/Conteúdo: 6/10
Efeitos/Fotografia: 9/10
Transmissão da ideia principal do filme para o espectador: 7/10


Média Global: 5/10

Crítica feita por Joana Queiroz



Informação


Título em português: Fúria de Titãs 2
Título Original: Wrath of the Titans
Realização: Jonathan Liebesman
Ano: 2012
Actores: Sam Worthington, Ralph Fiennes , Liam Neeson, Rosamund Pike

Trailer do filme:





VER TAMBÉM:

Clash of the Titans (2010), por Joana Queiroz
Photobucket


0 comentários:

Enviar um comentário