terça-feira, 31 de julho de 2012

Ted (2012)

Family Guy no grande ecrã.

Decerto que o nome Seth MacFarlane e o seu humor característico não deve ser indiferente para ninguém, mesmo para quem não acompanhe o seu trabalho no pequeno ecrã. Assim, Seth McFarlane arrisca e oferece-nos Ted, marcando precisamente a sua estreia não só como realizador mas como produtor e argumentista no grande ecrã. Foi precisamente por esse facto que corri para ir ver o filme, pois esperava que o humor fosse igual ao das séries como Family Guy ou American Dad - e é igualmente por esse facto que este filme pode dividir audiências.

O filme retrata a história de um menino de oito anos, John Bennett (Mark Wahlberg) que nunca teve amigos. No Natal, recebeu um ursinho de peluche chamado Ted (voz de Seth McFarlane), que imediatamente se torna o seu único amigo. Numa noite, o desejo de ter um amigo real em Ted concretiza-se, e a partir desse momento eles tornam-se os melhores amigos. Deste modo, os anos passam e ambos crescem juntos. Na sua fase adulta, John Bennet vive com o seu ursinho de peluche, numa amizade que parece ser indestrutível embora tenha um senão: Lori (Mila Kunis), namorada de longa data de John, considera Ted e o seu comportamento um obstáculo para a dinâmica da sua relação. Assim, chega o momento que Ted e John sempre quiseram evitar: o ursinho de peluche tem de assumir a sua independência e começar a viver a sua própria vida.

Ted constitui a estreia de Seth MacFarlane como realizador no grande ecrã, e não desilude. Desde cedo que estamos habituados ao seu humor provocador e hilariante ou às paródias sociais, religiosas e culturais. Aliás, satirizar a sociedade americana é uma constante no seu trabalho, e MacFarlane propõe-se em concentrar todo esse poder num ursinho de peluche. De facto, o realizador demonstra habilidade nessa função, mas verdade seja dita - o melhor de MacFarlane está patente no urso mesmo; não só a sua voz, mas mesmo o comportamento que é tão familiar como as personagens a que estamos habituados.

O argumento foi igualmente escrito não só por ele, mas também por Alec Sulkin e Wellesley Wild, que também trabalham em conjunto no Family Guy. Assim, e quem conhece bem o trabalho de MacFarlane, verá em Ted material reciclado e re-utilizado, que por vezes torna-se forçado ou não resulta tão bem. A premissa de "um menino que deseja vida no seu urso de peluche e o desejo é concretizado" também não é propriamente original, contudo, esta ganha com outros elementos que conferem vida - o ursinho é um rebelde, regendo-se praticamente pelo lema "sex, drugs, and rock n' roll". Se tivesse de realçar outro aspecto mais negativo no trabalho de MacFarlane em Ted teria inevitavelmente de sublinhar a vertente dramática do filme; o realizador tem uma notória dificuldade em lidar com o género, parecendo mesmo um pouco constrangedor em alguns momentos. O embarque em alguns clichés (particularmente a partir da segunda metade do filme) é algo que também não esperava, que me fez arrefecer um pouco.

Em síntese, se Ted ganha com as gargalhadas garantidas que o filme proporciona, óptimas interpretações e uma familiar banda sonora, peca com a previsibilidade e algumas características típicas de "comédia romântica" que são desnecessárias. Mesmo assim, fica o aviso: se gostam e são fãs de American Dad, The Cleveland Show ou Family Guy, este filme é obrigatório; se, por outro lado, não são apreciadores do humor violento de Seth MacFarlane, evitem esta longa-metragem.


EXAME

Realização: 7.5/10
Actores: 8/10
Argumento/Enredo: 7/10
Duração/Conteúdo: 8/10
Banda sonora: 8/10
Transmissão da ideia principal do filme para o espectador: 8/10

Média Global: 7.7/10

Crítica feita por Joana Queiroz


Informação


Título em português: Ted
Título Original:
Ted
Ano: 2012
Realização: Seth McFarlane
Actores: Seth McFarlane, Mark Wahlberg, Mila Kunis

Trailer:

4 comentários:

  1. Não sou fã do Family Guy, dai nao ter passado um bom tempo no cinema... fui mesmo pela Mila, q estava fixe, e pelo Mark, que infelizmente estava com 1 sotaque super irritante. Mas eles tinham uma boa quimica! A historia é muito simples, e o humor simplesmente não me atrai. Muita gente gostou, e eu faço parte dos que não gostaram xD.

    Gosto do novo visual!

    ResponderEliminar
  2. Aquele é o verdadeiro sotaque do Mark Wahlberg, sotaque de Boston.

    ResponderEliminar
  3. @ Marta: Pois, não sendo fã do humor característico de Seth MacFarlane dificilmente gostará do filme. Pode até chocar algumas pessoas mais sensíveis. E sim, concordando com o Pedro, aquele é o verdadeiro sotaque de Mark Wahlberg ;)

    ResponderEliminar