Crítica - Before I Wake (2016)

Análise ao novo filme de terror realizado por Mike Flanagan, "Before I Wake". Por Sarah Queiroz.

TOP 10 Melhores: Filmes de Terror de 2015

Confiram o nosso TOP 10 Melhores Filmes de Terror de 2015! Concordam? Por Sarah Queiroz

Especial Colaborações do Cinema: Neill Blomkamp e Sharlto Copley

Vejam o nosso especial colaborações do cinema, em que percorremos a filmografia do realizador Neil Blomkamp que conta com a colaboração de Sharlto Copley. Por Sarah Queiroz

TOP 5 Melhores Filmes: Scarlett Johansson

Confiram a nossa lista dos 5 melhores filmes protagonizados pela bela Scarlett Johansson. Por Sarah Queiroz

TOP 10 Melhores Filmes - "Body Horror"

Confiram o nosso TOP 10 Melhores Filmes "Body Horror". Por Sarah Queiroz

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

The Hangover (2009)

"Some guys just can't handle Vegas."

"The Hangover" é um filme, permitam-me já adiantar, bastante refrescante e inovador. Desde um bebé abandonado num armário a um tigre enfiado numa casa de banho, este filme tem de tudo. Apesar do filme parecer que vá ser daqueles filmes de comédia super comerciais com um argumento pouco profundo que não valem grande coisa (o trailer não me impressionou), "The Hangover" acaba por superar qualquer expectativa e torna-se numa deveras agradável surpresa. Hilariante é dizer pouco. Ou talvez seja dizer tudo, pois "The Hangover" quase que é a definição da palavra. O filme proporciona momentos verdadeiramente caricatos, especialmente as cenas protagonizadas por Zach Galifianakis.

Aliás, Bradley Cooper, Ed Helms e Zach Galifianakis são o trio perfeito e estão absolutamente fantásticos no filme. Posso dizer que foi dos poucos filmes que conseguiu fazer-me cair da cadeira de tanto rir.
Fiquei um bocado hesitante relativamente a Bradley Cooper, isto porque não sabia que ele era capaz de fazer comédia tão bem. Cooper no filme está um idiota completo. Já Ed Helms, comediante contemplado, bastante subestimado na minha opinião, fez o papelão que já esperava que ele fizesse. Zack Galifianakis rouba o espectáculo, que show que este homem dá! O filme também conta com a participação de Heather Graham e Mike Tyson, ambos também a contribuir bem para o sucesso do filme.

"The Hangover" conta a história de 4 homens. Phil (Bradley Cooper), é um professor casado que está completamente aborrecido com a sua vida. Stu (Ed Helms), é um dentista "nerd" que tem uma namorada horrível que controla-o constantemente. Alan (Zach Galifianakis), é um homem um pouco estranho e anti-social, cuja irmã se vai casar com Doug (Justin Bartha). Ora o filme desenrola-se em Las Vegas onde estas 4 personagens decidem passar a despedida de solteiro de Doug. No dia seguinte deparam-se com uma situação de doidos: o quarto de hotel está completamente destruído, têem um bebé no armário, um tigre na casa de banho e Doug está desaparecido. Para além destes problemas, ainda há outro. Eles não se lembram de nada e o Doug vai se casar no dia seguinte. Alan, Phil e Stu terão que fazer de tudo para descobrir o que fizeram durante a noite e encontrar Doug antes que seja tarde demais.
O filme conta com um argumento bastante engraçado, é uma história simples que envolve momentos absurdos e hilariantes, que por vezes apresenta sequências um pouco irrealistas e estúpidas, mas penso que faz parte do género. O que importa é que apesar do irrealismo de algumas cenas, as cenas mesmo assim são executadas na perfeição e concretizadas convenientemente. Para além deste, outro pontos negativos que devo realçar, é o pouco desenvolvimento das personagens. O enredo, assim, não é nada de especial, mas a sua concretização soberba eleva "The Hangover" ao filme cómico do ano, se não dos melhores filmes de comédia da década.


É um filme altamente recomendável e imperdível, pois é genuinamente engraçado. Todd Phillips está de parabéns, pois realizou um grande filme. Que venha o "The Hangover 2", já anunciado para uma estreia a Julho de 2011.



EXAME

Realização: 8/10
Actores: 10/10
Argumento/Enredo: 7/10
Banda Sonora: 7.5/10
Duração/Conteúdo: 7/10
Transmissão da principal ideia do filme para o espectador: 8/10

Média Global: 7.9/10

Crítica feita por Sara Queiroz


Informação

Título em português: A Ressaca
Título Original: The Hangover
Realização: Todd Phillips
Ano: 2009
Actores: Bradley Cooper, Ed Helms, Zach Galifianakis, Mike Tyson

Trailer do filme:

domingo, 15 de agosto de 2010

SAW VI (2009)

A saga Saw sempre constou nas minhas preferências. O primeiro filme é de uma genialidade imensa, e o facto de ser low budget ainda é mais impressionante, pois conseguiram um filme fantástico com tão poucos meios. E os filmes que sucederam não foram muito maus, mas ficavam sempre na sombra do primeiro. Só que a qualidade dos filmes ia decaíndo, e bastante mesmo. Isto porque o SAW V, na minha opinião, é mesmo o pior filme da saga, e deixou-me com uma sensação de vazio imensa. Demasiados flashbacks, muito confuso. Basicamente foi apenas uma desculpa para fazerem outro filme.
Pergunto-me: "Será que o SAW já deu o que tinha a dar, e estão a esticar demasiado o conceito ao ponto de se tornar cansativo? O que é que o SAW VI poderá trazer de novo, para ser de facto um filme bom?". Foram com estas perguntas na minha cabeça que fui ver o filme, ou seja, com uma disposição espectacular e com umas boas expectativas.

Devo já adiantar que o SAW VI apresenta uma melhoria imensa relativamente ao filme anterior. Nem se compara. A história está melhor trabalhada, isto é, apresenta uma estrutura sequencial mais organizada que devolveu-me o sentimento de estar a torcer pela personagem principal, o que já nao acontecia à muito (dava por mim a querer logo que as personagens morressem para acabar logo com a minha tortura...)! Outro ponto positivo em relação ao SAW V, é que no sexto já não temos um desenrolar lento da acção, isto porque as cenas acontecem mais rápido e mais fortes, com armadilhas mais inovadoras, e com plot twists do melhor e é isso basicamente que define o conceito do filme (que perdeu-se imenso no SAW V). Isso não quer dizer, no entanto, que o argumento seja espectacular, não obstante a melhoria na organização e na exposição.
O filme segue duas linhas de acção, a primeira conta com o Detective Hoffman a tentar dar a volta e estar um passo à frente em relação à investigação do FBI, iniciando a segunda linha de acção que segue um homem chamado William, que é a vítima principal do filme, que é sujeito a inumeros testes mortais. Devo realçar que este aspecto está mesmo muito melhor conseguido neste filme, pois as armadilhas são sucessivas e mais intrigantes e contribui de facto para um ambiente sufocante e aquela vontade de torcer pela personagem principal. Prefiro não entrar em muitos pormenores relativamente à história, pois assim os spoilers seriam inevitáveis.
O SAW VI conta com a presença da vencedora da série da MTV "Scream Queen" Tanedra Howard. Bom desempenho, apesar de curto, por parte da actriz, que demonstrou muita credibilidade e provou ter muita qualidade. Tobin Bell é um verdadeiro senhor que apresenta-se sempre cada vez melhor no seu papel de John Kramer, tal como Shawnee Smith (Amanda), simplesmente adoro-a e é sempre um prazer vê-la novamente. Agora não sei se é pela personagem que interpreta (Detective Hoffman), mas eu não consigo gostar do trabalho de Costas Mandylor. Ou secalhar está mesmo a fazer um óptimo trabalho, porque odeio muito a personagem.

Apesar do filme de facto demonstrar melhorias, não é perfeito, na medida em que continuo a achar que estão a extender demasiado o conceito do filme, pois não era necessário terem chegado ao sexto. No entanto, para quem é fã da saga, é de facto imperdível. Melhor que o SAW V, sim, mas não me parece que seja o SAW VI a ultrapassar a qualidade do primeiro. Mas que venha o SAW VII. O último, esperemos.

EXAME

Realização: 6/10
Actores: 8/10
Argumento/Enredo: 6/10
Duração/Conteúdo: 7/10
Transmissão da ideia principal do filme para o espectador: 7/10

Média Global: 6.8/10

Crítica feita por Sara Queiroz

Informação

Título em português: Jogos Mortais VI

Título Original: SAW VI
Ano: 2009
Realização: Kevin Greutert

Actores: Tobin Bell, Costas Mandylor, Mark Rolston

Trailer do filme:

300 (2006)

"THIS IS SPARTAA!"

A primeira palavra que encontro para descrever 300 não será algo que traga grande surpresa: o filme é ÉPICO. Baseado na banda-desenhada "Os 300 de Esparta" de Frank Miller e protagonizado por Gerald Butler, o filme parecia já ter tudo, a priori, para ser bem sucedido. Eu falo por mim que, quando vi o trailer, fiquei estupefacta com o efeito visual do género Sin City. Isso disse-me logo que poderia esperar um espectáculo visual fantástico. Mas como não é só isso que faz os filmes bons, preferi esperar para ver.
Ver o filme no cinema é uma experiência completamente arrebatadora; é impossível alguém não ter ficado impressionado com os soberbos efeitos visuais que este filme demonstra, que são, absolutamente, dos pontos altos do filme.

Zack Snyder não poderia ter feito melhor trabalho com 300. Já gostava do realizador pelo seu trabalho no remake de Dawn of The Dead (2004), que foi a sua estreia na realização. 300 foi o seu segundo filme e acertou em cheio, sem dúvida, isto porque foi o filme que o fez destacar e deu o prestígio que hoje é-lhe reconhecido. Zack Snyder procurou fazer um filme épico e não falhou na sua concretização: quer seja pela fantástica banda sonora, pela fidelidade à graphic novel de Frank Miller, pela sequência de cenas fantásticas, pelo guarda-roupa fenomenal, 300 não falha. O trabalho de câmara e os efeitos visuais estão fenomenais, propositadamente intencionados para com que pareça com uma obra de arte; De facto, é um doce para os olhos.O essencial e o ponto alto do filme é sem dúvida a acção. É o que o filme tem de melhor: as sequências em slow motion mostram o melhor dos Espartanos, é um autêntico ballet de sangue. Temia a demasiada violência das sequências de luta, mas estão assombrosas no bom sentido.

Gerald Butler não poderia assumir melhor
comando. Interpreta a personagem com uma paixão enorme e é simplesmente fantástico. Consegue transmitir qualquer emoção e faz-nos facilmente cair nas graças da personagem. Felizmente, todos os restantes actores fizeram semelhante trabalho, não tenho qualquer razão de queixa.

Na minha opinião, 300 é um filme bastante único e altamente recomendável. Não é só um filme de acção visto também nos mostrar uma história de um grande amor, mas obviamente envolto num ambiente de guerra e acção.
É dificil não se gostar deste filme, mas diria que é compreensível se não agradar a todos.

EXAME

Realização: 9/10
Actores: 8/10
Argumento/Enredo: 7/10
Banda Sonora: 9/10
Duração/Conteúdo: 7/10
Transmissão da principal ideia do filme para o espectador: 8/10

Média Global: 8/10

Crítica feita por Sara Queiroz


Informação

Título em português: 300
Título Original: 300
Realização: Zach Snyder
Ano: 2006
Actores: Gerald Butler, Lena Headey, David Wenham, Rodrigo Santoro

Trailer do filme: