Crítica - Before I Wake (2016)

Análise ao novo filme de terror realizado por Mike Flanagan, "Before I Wake". Por Sarah Queiroz.

TOP 10 Melhores: Filmes de Terror de 2015

Confiram o nosso TOP 10 Melhores Filmes de Terror de 2015! Concordam? Por Sarah Queiroz

Especial Colaborações do Cinema: Neill Blomkamp e Sharlto Copley

Vejam o nosso especial colaborações do cinema, em que percorremos a filmografia do realizador Neil Blomkamp que conta com a colaboração de Sharlto Copley. Por Sarah Queiroz

TOP 5 Melhores Filmes: Scarlett Johansson

Confiram a nossa lista dos 5 melhores filmes protagonizados pela bela Scarlett Johansson. Por Sarah Queiroz

TOP 10 Melhores Filmes - "Body Horror"

Confiram o nosso TOP 10 Melhores Filmes "Body Horror". Por Sarah Queiroz

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Red Eye (2005)

2005 foi um ano interessante para o realizador Wes Craven: Por um lado, realizou o filme "Amaldiçoados" que, foi completamente banido pelas críticas (sem surpresa, é um filme pouco original com graves problemas de edição). Após este falhanço que os fãs simplesmente apagaram com a borracha como se não tivesse sido nada (Sim Wes, nós perdoamos-te), o verdadeiro regresso de Craven estava prometido com o lançamento de "Red Eye", um filme de thriller/suspense que parecia promissor! E assim aconteceu.
Wes Craven trouxe-nos a saga "Scream" e deu-nos a conhecer Freddy Krueger com a saga "Nightmare on Elm Street, sendo incontestavelmente, um senhor bastante aclamado. Em "Red Eye", assume uma realização sólida, inteligente e nova, ao preferir enveredar para o chamado "terror psicológico", algo que não fazia em abundância mas em "Red Eye" fê-lo de forma bastante sensata.

Lisa Reisert (Rachel McAdams), tenciona apanhar o avião para Miami, no entanto, o seu voo é atrasado. Enquanto espera, conhece Jackson Rippner (Cillian Murphy), e há uma evidente química entre eles. Já no avião, descobrem que têm os seus lugares ao lado um do outro, deixando Lisa mais tranquilizada, pois conseguiria abstrair-se do seu medo de voar ao estar ao pé duma cara mais familiar. No entanto, Lisa desconhece as verdadeiras intenções de Jack, e será envolvida num plano de assassinato, em que Rippner planeia matar um indíviduo, e se Lisa não colaborar, ele fará com que o pai dela (Brian Cox) seja morto. O que poderá Lisa fazer, estando a não sei quantos pés de altitude?

"Red Eye" tem momentos de alta tensão construídos de forma bastante inteligente. O facto dos momentos altos do filme se passarem no avião contribuem ainda mais para isso, visto que a sensação claustrofóbica é inegável. Gosto imenso de filmes que me deixem doida a pensar "Como é que ela se vai safar disto?!". Porém, não consigo deixar de pensar que o argumento, de início bastante promissor, isto porque, para além de ser muito simples, e eu gosto de simplicidade, tem bons actores a concretizá-lo, sofre uma queda mais para o fim, quando a acção passa para fora do avião. Mas não vou entrar em pormenores aí.

Rachel McAdams faz aqui uma interpretação bastante boa. Sem dúvida que foi em "Red Eye" que McAddams solidificou a sua carreira, ao provar que é uma grande actriz. Dos filmes que vi dela, este é, na minha opinião, o seu melhor. Decerto que terá uma grande carreira. Agora, o homem do filme, é sem sombra de dúvidas Cillian Murphy. Parece que este actor decidiu em 2005 só fazer vilões (interpretou igualmente o Scarecrow em "Batman Begins"), mas o certo é que o faz espectacularmente bem. É impressionante como Murphy tem mesmo um ar desiquilibrado. Um ponto alto do filme é a química entre os dois actores, trabalham muito bem juntos, o que faz com que a maior parte das cenas estejam excelentes e credíveis. De Brian Cox, esperava mais.


Filmes deste género resultam, e resultam mesmo. Os espectadores gostam de poderem identificar-se com as personagens e argumento."Red Eye" é um exemplo de filme intenso, que aborda, e não estupidamente, a vertente psicológica do terror, abstraindo-se de sangue e gore, que sinceramente para aqui não interessa nada, e não faz com que seja pior do que outros filmes. Em conclusão, não é um filme perfeitíssimo, mas sem dúvida que merece a atenção do público. Na minha opinião, "Red Eye" foi a surpresa de 2005.


EXAME

Realização: 7/10
Actores: 8/10
Argumento/Enredo: 6.5/10
Duração/Conteúdo: 7/10
Transmissão da ideia principal do filme para o espectador: 7/10

Média Global: 7.1/10

Crítica feita por Sara Queiroz



Informação

Título em português: Red Eye
Título Original: Red Eye
Ano: 2005
Realização: Wes Craven
Actores: Rachel McAdams, Cillian Murphy


Trailer do filme:



quarta-feira, 28 de abril de 2010

TOP Terror - Década de 60 e anteriores

Chegamos à ultima parte do TOP Terror, em que nos debruçamos sobre a década de 60 e as anteriores. A partir da próxima semana, o nosso TOP será sobre outro tema.

Os anos 20 e 30 foram caracterizados pelo surgimento de filmes do género "monsters", como Frankenstein e Dracula, em que a explicação do mal era sempre algo sobrenatural ou "monstruosa". No entanto, nas décadas subsquentes, foi surgindo um novo subgénero, o chamado "Horror-of-personality" (que o filme "Psycho" tornou tão famoso), em que o terror se caracteriza pelos seus vilões serem simplesmente maléficos, sem qualquer carácter sobrenatural, ao contrário do que se assistia até então.

Confesso que não vi uma lista imensa de filmes destas épocas, pelo que a minha lista talvez não incluirá muitos títulos. Decerto que faltarão alguns. Mas a lista que vou enunciar, é, na minha opinião, os melhores filmes de terror das décadas correspondentes. Aqui ficam, sem nenhuma ordem particular:



Psycho (1960)



"Psycho" é capaz de ser o filme mais icónico do género de todos os tempos, apesar das críticas iniciais serem mistas. Alfred Hitcock é o verdadeiro mestre do terror e suspense.

Trailer:



The Birds (1963)



Outro grande clássico por Alfred Hitchcock.
"The Birds" conta-nos a história de uma jovem rapariga que se desloca até Bodega Bay, atrás de um potencial namorado. No entanto, em Bodega Bay começam a acontecer factos estranhos, como pássaros de todas as espécies começarem a atacar violentamente a população.
Acho que o meu receio pessoal de pombas começou após a visualização deste filme.


Night of the Living Dead (1968)



É o primeiro filme da triologia tão aclamada de George A. Romero.
Em 1968, George A. Romero criou um fenómeno de culto instantâneo que influenciou todos os filmes do género e ainda hoje é visto como o filme de zombies mais espectacular de sempre.
Não há mais nada a dizer, simplesmente vejam-no.

Filme inteiro:





Village of the Damned (1960)



"A Cidade dos Malditos" é um filme arrepiante que marcou o início da década. O filme teve um remake em 1995, mas que não teve o mesmo sucesso que o original.
Numa pequena vila, acontece algo muito estranho que deixa os seus habitantes inconscientes por algumas horas, e algumas mulheres ficam grávidas. Nove meses depois, as crianças nascem, e quando crescem desenvolvem poderes mentais únicos que não têm qualquer hesitação em usar, mesmo se tiverem que enveredar pelo mal. A população começa a revoltar-se contra as crianças, e fazem tudo para detê-las.

Trailer:




Bride of Frankenstein (1935)



Este filme é a sequela de "Frankenstein" de 1931.
"Bride of Frankenstein" constitui uma rara excepção: é melhor que o primeiro filme. Geralmente, as sequelas não são melhores que os primeiros, mas neste caso o inverso sucede-se.

Trailer:





Nosferatu (1922)




"Nosferatu" é um filme de expressionismo alemão realizado por F. W. Murnau. Foi bastante controverso, visto tratar-se de uma adaptação não autorizada do romance Dracula por Bram Stoker , mas no entanto, tornou-se na principal influência de diversos filmes posteriores. É um clássico! Apesar de filmes mudos não agradarem a todos, este decerto que não desilude, tendo em conta que foi feito em 1922.

Filme inteiro:




Rosemary's baby (1968)



Este filme é um clássico de Roman Polanski e do género terror nos anos 60. Outra razão para verem o filme é pela Mia Farrow. Ela é uma grande actriz, e neste está soberba.
"Rosemary's baby" conta-nos a história de Rosemary e o seu marido que mudam-se para um novo apartamento em Nova Iorque. No entanto, algo de muito estranho se passa com os seus vizinhos, e após engravidar misteriosamente, Rosemary faz de tudo para evitar que o seu futuro filho seja alvo de uma seita de bruxarias por parte destes, que querem que ela dê à luz ao filho do diabo.

Trailer:




Partilha connosco a tua opinião!

por Sara Queiroz

sábado, 24 de abril de 2010

Pulp Fiction (1994)

Dizer que "Pulp Fiction" é um filme brilhante, é dizer pouco.
Quentin Tarantino é indiscutivelmente dos melhores realizadores de sempre, tendo realizado nos anos 90 filmes que hoje são clássicos inegáveis. Um desses filmes é "Pulp Fiction". Tarantino é um realizador de prestígio que em 1994 alcançou o auge, pois "Pulp Fiction" foi nomeado para sete Óscares, ganhando, no entanto, apenas um (a concorrência era fortíssima - Forrest Gump). Mas só o facto de ter sido reconhecido pela Academia, já diz bastante sobre a qualidade deste filme. Na minha opinião, não é o melhor do realizador; mas isso não é um defeito, visto que Tarantino não tem nenhum filme mau, é impressionante.

"Pulp Fiction" possuiu a narrativa não linear tão característica de Tarantino, mas isso em nada prejudica a originalidade e criatividade do argumento ou a dificuldade em percebê-lo. Aliás, o filme possui diversos elementos que o fazem bom, e tornam Quentin Tarantino num excelente e indiscutível realizador/argumentista: os diálogos tão bem construídos e engraçados (o humor negro é com certeza uma característica permanente dos filmes de Tarantino), os planos de câmara estão incrivelmente bem conseguidos (Tarantino concretiza as suas ideias espectacularmente), para além de complementar as suas cenas de forma magnífica com uma banda sonora absolutamente fantástica, que é outra característica particular sempre presente nos seus filmes (Temas como Girl, You'll be a Woman Soon", "Dark Night", "Jungle Boogie", "Comanche", "Flowers on the Wall", "Stay Together" são inesquecíveis!).
Algo de bastante interessante relativamente a Pulp Fiction é o facto de haver cenas em que se cria momentos de atmosfera leve que rapidamente são contrapostas com cenas de extrema intensidade e violência. O filme começa bem, continua bem, e acaba bem.


O estilo narrativo particular pode causar algumas dificuldades a alguns espectadores, mas sinto mesmo que é algo de pequena importância, e aliás, é algo que só benefecia o filme (apesar de algumas pessoas considerarem que serve para realçar os pontos fracos do filme). O filme parece não ter qualquer sentido de início, mas esse sentido é nos transmitido ao longo do filme. Tarantino não tem qualquer medo em arriscar, é isso que me faz apreciar imenso os seus filmes. A melhor maneira de descrever Pulp Fiction é simplesmente dizer que se trata de uma lista de histórias não cronológicas com muita acção e humor á mistura.

Actores de luxo é o que se pode encontrar! Antes de mais, há a sensação inicial de que não se consegue gostar de nenhuma personagem, mas rapidamente isso desaparece, não só com a genialidade dos diálogos, mas também através da interpretação dos actores. John Travolta e Samuel L. Jackson estão, sem dúvida, um espectáculo. A performance de Uma Thurman também é bastante boa, apesar de não contarmos muito com ela. Tal como Harvey Keitel, o "screen time" foi pouco, mas a sua interpretaçaõ foi boa, como esperado.

Em suma, "Pulp Fiction" é O filme. O filme que revolucionou o cinema e inspirou muitos outros. A primeira vez que o vi, soube de imediato que seria a primeira de muitas visualizações. O certo é que já vi bastantes vezes e nunca me cansei. Isso significa alguma coisa. Sem dúvida que consegue captivar como muito poucos conseguem.
Imperdível!



EXAME 


Realização: 10/10

Actores: 9/10

Argumento/Enredo: 9/10
Duração/Conteúdo: 8/10
Banda sonora: 9/10
Transmissão da ideia principal do filme para o espectador: 8/10

Média Global: 8.7/10

Crítica feita por Sara Queiroz



Informação 


Título em português: Pulp Fiction - Tempo de violência (BR)

Título Original: Pulp Fiction

Ano: 1994
Realização: Quentin Tarantino
Actores: Uma Thurman, John Travolta, Samuel L. Jackson, Tim Roth


Trailer do filme:


sexta-feira, 23 de abril de 2010

TOP Terror - Década de 70

A década de 70 foi outra grande década para os filmes de terror.
Digamos que, foi a década em que surgiram os grandes clássicos, que hoje são vistos como as grandes lendas. São filmes que se tornaram num fenómeno de culto instantâneo.
Como é possível deduzir, nesta época, os filmes de terror eram um bocado diferentes. O género "slasher" era mais suspense e menos "gore", apostando no lado mais psicológico da coisa. No entanto, também surgiu o subgénero "splatter", isto é, mais sangrento e apostando mais nos efeitos especiais. Os anos 70 também se caracterizaram por filmes com fenómenos do oculto, como por exemplo "O Exorcista" e "Carrie".

Aqui fica a lista dos filmes que considero merecerem destaque:


The Exorcist (1973)



"O Exorcista" = filme mais aclamado na cultura pop. A influência que este filme teve ao longo dos tempos é absolutamente inegável. Quando vi este filme tinha 8 anos de idade e foi uma experiência espectacular! Revi uns anos mais tarde e assustou-me de igual maneira.
O filme lida com a possessão demoníaca de uma jovem rapariga e com as tentativas desesperadas de sua mãe para a trazer de volta através de um exorcismo. O filme conta com a participação de Ellen Burstyn, Linda Blair, Max von Sydow, Kitty Winn, Lee J. Cobb, Jason Miller and Mercedes McCambridge.
"O Exorcista" teve um tremendo sucesso, sendo nomeado para dez Óscares e tendo ganho dois.

Crítica: Brevemente
Trailer:




Carrie (1976)



"Carrie" é um filme de 1976 baseado numa obra de Stephen King. Só aí é possível deduzir a qualidade do argumento; sendo baseado em Stephen King, mestre do Terror, só pode saír coisa boa. O filme conta a história de Carrie White, uma rapariga que não tem a sociabilidade como principal qualidade, que vem a descobrir que possui poderes psíquicos. Carrie é frequentemente atormentada pelos seus colegas, mas o que os seus colegas não sabem, é que ela tem um "dom" e que não deveriam enervar a Carrie... A vingança pode sair mais cara do que eles pensam.
Outro grande clássico. Sissy Spacek está simplesmente fenomenal no filme. Recomendado!

Crítica: Brevemente
Trailer:




Jaws (1975)



"Jaws" é um filme que simplesmente me causou um medo aterrador de tubarões. Acho que já disse tudo. Suspense de início ao fim!

Crítica : N/A
Trailer:





Alien (1979)



"Alien" é um clássico do terror completamente inesquecível que deve ser visto!

Crítica: N/A
Trailer:





Halloween (1978)



Halloween é um filme de 1978 realizado por John Carpenter.
Muita gente pode não ter visto o filme, mas o serial killer Michael Myers é com certeza conhecido por todos, nem que seja o nome. O filme gira em volta de Michael Myers que, após fugir de um hospital psiquiátrico, começa a matar sequencialmente diversos adolescentes. Apesar de parecer, talvez, um tema repetido, o certo é que na altura foi algo que teve bastante impacto e hoje "Halloween" é considerado um clássico entre os filmes de terror, tendo influenciado bastante muitos filmes do género.


Crítica: N/A
Trailer:




Dawn of the Dead (1978)



Este filme é simplesmente clássico!
Ninguém pode afirmar-se fã do género se não tiver visto a triologia de George A. Romero, sendo este filme o segundo da saga. "Dawn Of the Dead" contém tudo para satisfazer os fãs deste específico "terror". Por acaso, o seu remake nem está muito mau, mas fica a milhas deste. A sequela de "Night of The Living Dead" segue os eventos deste, e claro está, tem muito sangue e acção zombie á mistura. "When there's no more room in hell, the dead will walk the earth". Recomendadíssimo!


Crítica: http://depoisdocinema.blogspot.com/2010/10/dawn-of-dead-1978_19.html
Trailer:





The Texas Chainsaw Massacre (1974)



"O Massacre do Texas" é um filme de 1974 que, supostamente baseado em factos verídicos, conta-nos a história do rapto e assassínio de um grupo de amigos que visitavam o Texas por uma família de canibais. A 1ª vez que vi este filme fiquei aterrorizada com o vilão principal, mais conhecido como "Leatherface". Este é o filme original. Agora, conhecem-se imensos remakes. Mas decerto que vale mais do que a pena darem uma olhadela ao filme original.

Crítica: Brevemente
Trailer:





The Hills Have Eyes (1977)



Porque não há nada como os originais. "The Hills have Eyes" de 1977 continua impressionante, mesmo 30 anos após a sua estreia. É outro grande filme por Wes Craven que deve ser visto, isto esperando que vejam este filme antes de verem o remake, que não faz justiça.

Crítica: N/A
Trailer:




Outros : Cannibal Girls, last House on the left, Amytiville Horror, Eaten Alive, When a Stranger Calls, Black Christmas, A Werewolf vs. The Vampire woman, Satan's Cheerleader

Partilhem a vossa opinião connosco!

por Sara Queiroz

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Edward Scissorhands (1990)


"His story will touch you, even though he can't."

Dos meus realizadores favoritos, Tim Burton, com o meu compositor favorito, Danny Elfman e com o meu actor favorito, Johnny Depp, “Eduardo Mãos de Tesoura” é simplesmente dos meus filmes de eleição. É o culminar da carreira de Tim Burton e Danny Elfman juntos, é o clássico. Este filme tornou-se bastante pessoal para o realizador, no sentido em que, num sentido metafórico, a história do filme é baseada na história de infância de Tim Burton.

O filme conta com magníficas interpretações dos mais talentosos actores: Vincent Price, Johnny Depp, Winona Rider , Alan Arkin e Dianne Wiest.

O filme inicia com uma senhora de idade a explicar à sua neta, aconchegadinha na sua cama, a origem da neve. Explica, desse modo, que neva devido à existência de um homem, Edward, e, assim, começa a contar a história deste, de como foi inventado e a sua vivência. Edward (Johnny Depp) foi a maior ambição de um inventor (Vincent Price). Já quase concluído, o inventor decide dar um último presente a Edward: umas mãos. Porém, uma infeliz coincidência acontece; o inventor tem um ataque cardíaco fatal, deixando a sua invenção inacabada, isto é, sem mãos. Edward tem, literalmente, tesouras como mãos, que serviam de substitutas enquanto aguardava pelas verdadeiras. No entanto, as afiadas tesouras de que ele é dotado tornaram-se as suas únicas mãos. Muitos anos mais tarde, Pegg Boggs (Dianne Wiest), uma vendedora da Avon, avista uma mansão gótica. Curiosa, decide ir lá, com igual intuinto de vender os seus produtos. Pegg conhece Edward, e ao ver que este vive na solidão, leva-o para sua casa, nos coloridos subúrbios. Edward rapidamente fica amigo da família, mas algo inesperado acontece: apaixona-se por Kim Boggs (Winona Ryder), filha de Pegg. Edward demonstra ter abilidades sobre-humanas em esculpir e cortar seja o que for. A sua vida nos subúrbios não será fácil, quando os vizinhos e o próprio namorado de Kim começarem a invadir a privacidade e felicidade da família Boggs.

Adoro o argumento do filme, está original, e apesar de simples, não tem falhas. “A história de um gentleman pouco comum”, resumindo. A premissa do filme desenrola-se uma maneira muito bonita. A personagem não se consegue enquadrar simplesmente porque os outros o acham diferente, excepto uma família que o acolheu. O amor e a amizade passam qualquer obstáculo. Os flashbacks que Edward tem durante o filme, em que se relata o processo de criação de Edward, estão simplesmente perfeitos: demonstram a relação inventor-invenção como uma relação de pai-filho, é magnífico. A história, que é contada de uma maneira mágica, não poderia ser mais real em retratar a nossa sociedade mesquinha, no entanto com raras excepções. A história é dramática como também tem as suas componentes cómicas, e enche-nos de esperança, demonstrando a natureza humana.
Tim Burton conseguiu transpôr para o grande ecrã tudo aquilo de bom que há no mundo para este filme. Não há palavras para descrever, simplesmente digo que Tim Burton tem um dom, e que é excepcionalmente dotado.
Fazendo uma parceria com Danny Elfman, a música é um pilar neste filme. Danny Elfman é um génio, não há dúvida, e a sua musicalidade é bonita e no entanto macabra. Assustadora, porém motivante e das mais belas melodias alguma vez chegadas a um ouvido humano.

Johnny Depp foi perfeito para o papel de Edward. Considero que deveria ter ganho um Óscar com este filme, sem dúvida alguma. Consegue ser simpático e carinhoso, mesmo sem diálogo. Fala pouco, mas cada expressão que faz diz tudo, é incrível. Captou a essência extremamente bem: conseguiu ser meigo, gentil, zangado, agressivo, assustador. Johhny Depp é um actor extremamente versátil, e já em 1990 isso acontecia. A versatilidade e presença do actor estão em todo o sítio neste filme. Dianne Wiest e Alan Arkin foram extremamente credíveis nos seus papéis “paternais”, cómicos e dramáticos; demonstram muita experiência. Não consigo dizer muito sobre Winona Ryder, excepto que foi adorável.

Muitas pessoas choram neste filme. Eu sou uma excepção, admito, mas este filme tem uma história que nos toca, mesmo que Edward não nos possa literalmente tocar sem cortar.
O melhor filme dos muitos da parceria Burton-Depp, aconselho esta obra-prima e o derradeiro clássico de Tim Burton, que permanecerá para sempre na história do cinema.


EXAME


Realização: 9/10

Actores: 10/10
Argumento/Enredo: 8/10
Duração/Conteúdo: 9/10
Banda sonora: 10/10
Transmissão da ideia principal do filme para o espectador: 9/10



Média Global: 9.2/10


Crítica feita por Joana Queiroz


Informação

Título em português: Eduardo Mãos de Tesoura

Título Original: Edward Scissorhands
Ano: 1990
Realização: Tim Burton
Actores: Vincent Price, Johnny Depp, Winona Ryder, Dianne Wiest e Alan Arkin



Trailer do filme:

terça-feira, 20 de abril de 2010

TOP Terror - Década de 80

Nos anos 80, o Terror começava a crescer anda mais, evoluindo para outros níveis.
A violência e as mortes começaram a ser mais gráficas, o suspense mais agudo, e os monstros e espíritos mais frequentes.
O género slasher, em que um psicopata mata sequencialmente as suas vítimas tipicamente adolescentes, começou a crescer, com o início das sagas de Freddy Krueger e Jason, e com a continuação da saga Halloween.

Filmes de monstros foram bastante típicos nesta altura, principalmente de lobisomens, vampiros e zombies; alguns exemplos desses são An American Werewolf in London, The Howling e Lost Boys.
No entanto, o suspense e o thriller também estão presentes nestes clássicos dos anos 80.
Há muitos filmes de sucesso nos anos 80, a lista poderia ser muito maior. Porém, decidi ser mais resumida, e apresentar os seguintes filmes:


The Shining (1980)



"The Shining" marcou, sem sombra de dúvida, o ínico da década de 80. Conta com a magnífica interpretação de Jack Nicholson; quem se esquece da mediática frase "Here's Johnny!" ?
O filme segue a história de Jack (Jack Nicholson), que é contratado para ficar a guardar um hotel durante o Inverno. Assim, vai para lá com a sua mulher (Shelley Duvall) e filho (Danny Lloyd). Há medida que o tempo passa, o contínuo isolamento começa a causar problemas mentais sérios, conduzindo a um comportamento cada vez mais agressivo e perigoso...
É um clássico obrigatório para os amantes de terror e suspense.

Crítica:
Brevemente
Trailer:




A Nightmare on Elm Street (1984)




O filme, que em português é "Pesadelo em Elm Street",e realizado pelo mestre do terror Wes Craven, marcou o início da franquia cujo enredo gira em volta de um dos psicopatas mais reconhecidos do cinema e um verdadeiro ícone: Freddy Krueger. Curiosamente, foi o filme de estreia para Johnny Depp.
Freddy Krueger é um assassino, que costumava matar pessoas em Elm Street, com as suas características garras de aço. Ao ser descoberto, foi queimado vivo. Porém, o seu espírito continua vivo, atormentando vários adolescentes nos seus pesadelos.A premissa do filme, que gira entre o imaginário e o real, está magnífica.Quem nunca viu o Freddy Krueger em acção, vá imediatamente ver.
Este ano, um remake será feito, como já mencionei na antevisão de terror em 2010.

Crítica: N/A
Trailer:



Friday the 13th (1980)



"Sexta-Feira 13" é outro clássico slasher que tem no principal plano o misterioso psicopata Jason. Teve várias sequelas, e até teve um crossover com Freddy Krueger, no filme "Freddy vs. Jason".
A acção começa em 1958, em Cristal Lake: dois adolescentes foram brutalmente assassinados. Vinte anos após o trágico acidente, o acampamento volta a abrir. Porém, as mortes também voltam.
O clássico psicopata com a máscara de hóquei, no seu melhor, neste primeiro filme da extensa franquia.

Crítica: N/A
Trailer:




Poltergeist (1982)




"Poltergeist - o Fenómeno" é um clássico dos anos 80, e dos melhores de espíritos.
A família Freeling é a típica família norte-americana dos anos 80.No entanto, estranhos eventos começam a tomar lugar. Carol Anne, a filha mais nova, começa a conversar com a televisão e os móveis começam a mexer-se sozinhos. Numa noite, durante uma tempestade, Carol Anne desaparece dentro do armário de seu quarto. Uma feliz coincidência acontece: num dos canais da televisão a família consegue ouvir a voz de Carol e comunicar com ela. Os Freeling procuram uma equipa de parapsicólogos e uma poderosa médium para trazer Carol Anne de volta, mesmo tendo que enfrentar um mundo desconhecido, espíritos furiosos e manifestações demoníacas dentro da própria casa, que esconde um segredo terrível.
"They're heeeere".

Crítica: N/A
Trailer:





Evil Dead (1981)



"The Evil Dead - A Noite dos Mortos vivos" é um filme realizado por Sam Raimi e protagonizado por Bruce Campbell. Sou fã de Sam Raimi, e este filme faz-lhe imensa justiça.É um clássico de terror e deve ser visto, apesar de ter imensa violência.
Cinco estudantes vão passar um fim de semana em uma cabana isolada nos bosques de Tennessee. Os jovens têm estranhas experiências, causadas pela presença ali do Livro dos Mortos; logo depois encontram um gravador, que contém a tradução de algumas passagens do livro. Ao ser reproduzida pelos estudantes, desperta os espíritos que estavam adormecidos e que habitam o bosque, começando a possuir os jovens.
Muito sangue, alguns sustos.

Crítica: N/A
Trailer:




The Lost boys (1987)



Um clássico thriller dos anos 80 sobre vampiros.
Lucy vai morar com Michael e Sam em Santa Clara. Esta é uma cidade em que tem muitos jovens desaparecidos. Sam e Michael descobrem um gang de motoqueiros que têm uma característica pouco comum: estão gradualmente a transformarem-se em vampiros. Michael apaixona-se por Star, uma das criaturas, e lentamente se torna um vampiro.
Um dos filmes mais brilhantes sobre vampiros, e dos melhores da década. Definately worth a look, para quem nunca viu.

Crítica: N/A
Trailer:



Day of the Dead (1985)



Este filme é realizado pelo mestre,o génio dos filmes de zombies e o meu favorito George A.Romero. Depois de "Night of the living dead" e "Dawn of the Dead", chegou-nos na década de 80 o "Day of the Dead". Um remake foi feito em 2008, mas não tem comparação possível.O filme centra-se no facto de os mortos-vivos dominarem a Terra, e apenas um pequeno número de humanos é que consegue resistir. Estes sobreviventes, entre eles soldados e cientistas, refugiam-se num abrigo militar subterrâneo. A sobrevivência dos humanos só poderá ser garantida se descobrirem como combater os mortos-vivos. Uma das últimas esperanças pode estar nas pesquisas realizadas pelo excêntrico Doutor Logan. Dias de puro terror são vividos.George A.Romero é genial, vejam o filme.

Crítica: N/A
Trailer:




Halloween II (1981)




"Halloween II - O Pesadelo Continua" é a sequela do primeiro filme da saga Halloween protagonizada pelo psicopata Michael Myers. No entanto, conta com muito mais violência do que o seu antecessor,e emerge mais no estilo "slasher".
Conta novamente com Jamie Lee Curtis, a interpretar Laurie Strode,irmã do serial killer Michael Myers.Passam 15 anos e Laurie está no asilo. Myers está obcecado e volta à sua cidade natal de Haddonfield, naquela mediática véspera do Halloween, indo atrás da irmã...para finalmente a matar.
Apesar de não ser melhor do que o primeiro, Halloween II é um classico slasher, recheado de terror e suspense, típico dos anos 80.

Crítica: N/A
Trailer:


por Sara Queiroz







domingo, 18 de abril de 2010

1408 (2007)

"Enjoy your stay."

No ano 2007 vimos duas adaptações cinematográficas de obras de Stephen King. Tivemos "The Mist" por Frank Darabont e "1408" por Mikael Håfström. Posso seguramente dizer que foram dois filmes que não desiludiram e fizeram justiça ao nome Stephen King. Vou-me focar no filme "1408" visto que o primeiro referido já foi por nós analisado.

Já sabia que o enredo do filme tinha um potencial espectacular, mas nunca é facil adaptar um livro para a sétima arte. Felizmente, neste filme isso não foi problema, visto que a realização é bastante competente, inteligente e sólida. Mikael Håfström visiona e concretiza o seu plano coerente de uma maneira eficaz, e foi bem sucedido onde vários realizadores falharam: "1408" cria um ambiente aterrador e claustrofóbico durante o filme e é imensamente perspicaz em criar antecipação e expectativa, visto que nos vemos constantemente agarrados à televisão para realmente saber o que se irá passar a seguir. Há pequenos pormenores no filme que, apesar de sublimes, dão-lhe o toque perfeito. E as músicas, essenciais para um filme de terror, fazem aqui o seu trabalho, ou seja, complementam o ambiente angustiante. Mas nada que se destaque.

Mike Enslin, interpretado por John Cusack, é um escritor de fenómenos sobrenaturais. Porém, nunca presenciou realmente nenhum desses fenómenos, ficando cada vez mais complicado tornar-se credível. Por conseguinte, decide ir até Nova York e hospedar-se no Dolphin Hotel, mais exactamente no famoso quarto 1408. O gerente do hotel, Gerald Olin (Samuel L. Jackson), avisa-o que 56 mortes já ocorreram nesse quarto, todas num espaço de uma hora, mas Mike, determinado a verificar por si próprio, decide hospedar-se no 1408. Não é muito tempo depois que Mike se apercebe que realmente algo de muito estranho se passa ali.
O final do filme é completamente inesperado e eu fiquei completamente chocada. Posso dizer mesmo que não gostei do final! Mas, como tenho vindo a dizer, é inteiramente subjectivo. É um final que nos mete ainda mais confusos, pois é um pouco difícil de discernir, mas não deixa de ser aterrador. Não quero dar-vos mais detalhes para não estragar a surpresa! Não é um filme que peque na sua duração, mas se fosse complementado com uns 10 minutos de filme não fazia grande mal... isto porque o final deixa-nos com algumas premissas abertas.

É um filme que mexe mais com o nosso psicológico, é seguramente um "terror psicológico" e Mikael Håfström manipula isso de uma maneira segura, transmitindo a sua visão eficazmente. Considero que a "violência implícita" é a fórmula que neste filme é a chave para o sucesso. Não contém muitos sustos, mas é do tipo de filme que ficamos a pensar durante muito tempo depois do seu visionamento. Mesmo tendo poucos sustos, os que têm, são bons!

John Cusack é, sem dúvida, a estrela deste filme. Ele é um actor fenomenal e em "1408" está no seu melhor, que interpretação fantástica! A maior parte das cenas ele está sozinho, o que pode ser tão difícil para outros actores, mas John Cusack foi 5*. Qual "2012", vejam antes Cusack em "1408" para verem a sua grandeza... Engraçado que sejam dois filmes com números como título. Adorei ver Samuel L. Jackson, pois apesar de ser um papel relativamente pequeno, nos momentos em que aparece, é de esperar que sejam grandes cenas, e obviamente que não desilude. É perfeito a toda a hora.

"1408" é um filme muito surpreendente. Acho que quem gosta deste género de filmes, vai considerar "1408" o seu novo favorito. É, sem dúvida, um título mais que recomendável!

EXAME

Realização: 8/10
Actores: 9/10
Argumento/Enredo: 8/10
Duração/Conteúdo: 7/10
Banda sonora: 7/10
Transmissão da ideia principal do filme para o espectador: 7/10

Média Global: 7.7/10

Crítica feita por Sara Queiroz


Informação

Título em português: 1408
Título Original: 1408
Ano: 2007
Realização: Mikael Håfström
Actores: John Cusack, Samuel L. Jackson, Mary McCormack

Trailer do filme:


sábado, 17 de abril de 2010

TOP Terror - Década de 90

Continuamos com o género Terror, só que agora retrocedemos para a década de 90!
Os anos 90 foram positivos para este género (não obstante haverem filmes completamente esquecíveis), pois podemos contar com alguns títulos memoráveis que ainda hoje são lembrados.

O terror dos anos 90 era ligeiramente diferente do de hoje. Apostava-se mais no suspense e na história em vez dos litros de sangue que hoje são a primeira prioridade em que se esquece propriamente da história.
Foi re-introduzido e solidificado nos meados da década, o subgénero que ficou famosíssimo com filmes como "Sei o que fizeste o Verão Passado", as sequelas do "Nightmare on Elm Street" e "Halloween", "Scream", e "Mitos Urbanos". Esse subgénero ficou conhecido como "slasher", que envolve tipicamente um assassino em série que persegue e mata sequencialmente as suas vítimas (que geralmente são adolescentes). Foi uma fórmula eficaz e constante nos anos 90, mas não a única, pois houve filmes extremamente bem sucedidos que fugiam a este tipo.

Apresento, em seguida, a lista de filmes que considero serem os melhores de Terror na década de 90.



Sixth sense (1999)



Foi no final da década de 90 que surgiu "O Sexto Sentido", o filme mais surpreendente e espectacular no seu final em toda a década, e até me atrevo a dizer, talvez, de sempre. Acho que o choque que se apanha no final deste filme é algo raro que poucos filmes hoje em dia conseguem igualar.
"I see dead people"... não é preciso dizer mais nada, pois não?

Crítica: Brevemente
Trailer:




Scream (1996)



"Scream - O Grito" é o tipo de filme que marcou o estilo "slasher" dos anos 90. Foi extremamente mediático e bem sucedido, daí ter que constar nesta lista, pois destacou-se verdadeiramente na década.
Um Serial Killer, fanático por filmes de terror, está a assassinar brutalmente todos os jovens da cidade. No entanto, este assassino tem uma particular obsessão pela Sidney Prescott (Neve Campbell) que se safou em momento anterior de ser morta por ele. A mãe de Sidney foi assassinada em iguais circunstâncias, o que leva Sidney a crer que talvez haja ligação entre os dois factos.
Foi um filme aclamadíssimo na altura, e quem não viu, devia dar uma olhadela, pois foi um filme que redefiniu o género.

Crítica: N/A
Trailer:



Silence of the lambs (1991)



"O silêncio dos inocentes" é, sem dúvida, dos melhores filmes de thriller/suspense da década de 90 e o melhor da saga. Anthony Hopkins e Jodie Foster foram galardoados com um Óscar com as suas interpretações.
Clarice Starling (Jodie Foster) é uma jovem agente do FBI destacada para encontrar uma mulher raptada e salvá-la de um serial killer. Para conseguir elaborar o perfil psicológico e perceber a mente do assassino, Clarice vai procurar outro género de assassino, o brilhante (outrora psiquiatra, que se tornou canibal) Hannibal Lecter. Aí inicia-se um jogo enigmático em que Hannibal fornece pistas para acabar com as mortes mas, pedindo algo em troca...

Crítica: Brevemente
Trailer:




The Blair Witch Project (1999)


Não é um filme convencional, mas sem dúvida que abalou os anos 90. O seu estilo de câmara particular caracterizou o filme, aliás, "O projecto de Blair Witch" foi pioneira neste estilo "shaky camera" que proporciona momentos de alta tensão.
A 21 de Outubro de 1994, Heather Donahue, Joshua Leonard e Michael Williams enveredam pela floresta de Black Hills para filmarem um documentário sobre a lenda local 'Blair Witch'. Nunca mais se ouviu falar deles... Um ano mais tarde as suas filmagens foram encontradas, e o seu projecto é o que resta.
É um bom título para quem espera momentos de inquietação e ângustia face ao desconhecido.

Crítica: N/A
Trailer: N/A


Misery (1990)



Ok, se querem ver um filme de suspense puro dos anos 90 em que se vive momentos de verdadeira agonia e horror, vejam "Misery". O filme está perfeito na sua concretização, pois transparece mesmo a sensação de pânico. Sem surpresa é que se consta que este filme foi baseado numa obra de Stephen King, mestre do terror e suspense.
O filme conta a história de Paul Sheldon, um escritor de muito sucesso que, num dia de tempestade, sofre um terrível acidente. É salvo por Annie, interpretada por Kathy Bates, que é a sua maior fã e convenientemente, é uma enfermeira. Leva-o para sua casa onde cuida dos seus ferimentos. No entanto, a sua obsessão pelo escritor torna-se numa loucura extrema, proporcionando a Paul momentos de puro horror, quando é atormentado pela psicótica Annie que o torna seu prisioneiro.

Crítica: Brevemente
Trailer:




Interview with the vampire (1994)



Outro grande filme de vampiros dos anos 90, pois também conta com elementos bastante satisfatórios que o fazem ser muito bom. Tipicamente dos anos 90, pois não imagino mesmo fazer-se hoje em dia filmes deste tipo.
O filme inicia-se com Malloy, um jornalista, que se prepara para entrevistar um misterioso homem. Surpreendentemente, o homem misterioso, revela-se ser um vampiro e começa a contar a sua história de vida, deixando Malloy estupefacto… Vai contar a história da sua existência desde o século XVIII, e de quando conheceu o vampiro Lestat, sendo transformado por este, e de todas as suas vivências.
Brad Pitt, Tom Cruise, Antonio Banderas e Kirsten Dunst protagonizam este filme.

Crítica:
Brevemente
Trailer:




Sleepy Hollow (1999)



Tim Burton sempre teve a sua vertente "dark", mas na "Lenda do Cavaleiro sem Cabeça" decidiu apostar em grande no terror, suspense, e em muito sangue. E, claro está, contando com Johnny Depp enquanto líder do filme, que interpreta Ichabod Crane, a medrosa personagem que é a vertente cómica que o filme exige, para aliviar de tanta tensão.
Quando na vila Sleepy Hollow começam a ocorrer misteriosos crimes, em que todas as vítimas apresentam-se sempre sem cabeça, o detective Ichabod Crane é chamado a resolver os crimes. No entanto, os seus métodos e até mesmo a sua fé, serão postos à prova, quando se começa a aperceber do carácter sobrenatural desses crimes. Ichabod terá então que arranjar uma maneira de os resolver. Isto tudo, sem perder a própria cabeça.

Crítica: Brevemente
Trailer:




Bram Stoker's Dracula (1992)



Filme baseado no romance de Bram Stoker e que contém um elenco de luxo: Gary Oldman, Winona Ryder, Anthony Hopkins, Keanu Reeves. Na minha opinião, é o melhor filme de vampiros/Drácula dos anos 90 pois, não só tem uma história excepcional, como também conta com excelentes interpretações que a tornam ainda melhor e mais credível.
A história inicia-se no século XV, onde um guerreiro renega a Igreja quando, após a sua mulher Elizabeta se ter suicidado por acreditar que este estava morto, se recusa a enterrá-la em solo sagrado. Assim, torna-se no conde Drácula e vive durante séculos atormentado. Algum tempo depois, ao contratar um advogado, descobre que a noiva deste é a reencarnação da sua Elizabeta. Deste modo, fá-lo prisioneiro e vai para a Londres, com o objectivo de encontrar a mulher que sempre amou através dos séculos.

Crítica: Brevemente
Trailer:




Cape Fear (1991)


"Cabo do Medo" conta com Robert DeNiro no seu melhor!
É um thriller que mistura elementos de terror e suspense, numa intriga tal que só queremos chegar ao final do filme para ver como acaba! É a fórmula típica do ínicio da década, e que se extendeu.
O filme conta a história de um estuprador que procura vingança contra o seu advogado de defesa que, por ter perdido um caso em que a personagem de DeNiro era o arguido, foi colocado na prisão.


Crítica: N/A
Trailer:





Stir of Echoes (1999)



"Espíritos Inquietos" é um filme protagonizado por Kevin Bacon, que conta a história de Tom Witzky (Kevin Bacon) que, numa festa, aceita ser hipnotizado pela cunhada isa (Illeana Douglas). O que começou por ser uma simples brincadeira acaba por fazer com que Tom seja assombrado por estranhas visões. Obcecado com isso, Tom tenta descobrir o que causou esta mudança e decide investigar o que lhe anda a suceder.
É um filme de suspense máximo!

Crítica: N/A
Trailer:





Ringu (1998)


Este é o filme original que deu origem ao remake americano "The Ring".
Partilham, evidentemente, a mesma premissa, isto é, é acerca da misteriosa cassete de video que mata qualquer pessoa que a veja. Os filmes de terror japoneses têm a sua especialidade, e obviamente, este não deixa de ser um obrigatório de se ver.

Crítica: N/A
Trailer:




Outros grandes títulos foram "Se7en", "Frankestein", as sequelas de "Chucky", entre outros.
Concordam com a lista? Partilhem connosco a vossa opinião!


por Sara Queiroz

TOP Terror - Década de 2000

Vamos dar início a um novo "especial": desta vez, no entanto, será um "especial TOP's", isto é, elaboraremos uma lista de filmes que consideramos ser os melhores, consoante o tema que for.

Começamos com o género Terror na década 2000-2009.


Este género sofreu uma franca decadência face a clássicos de décadas anteriores. Este facto provém da falta de originalidade dos argumentos em que se assiste a uma constante realização de remakes de outros filmes. Ou mesmo quando são originais, parecem ter falta de uma história sólida, o que tem vindo a "assassinar" o género.
No entanto, não o extinguiu por completo, visto que nesta década, também tivemos títulos dignos do género (e em 2010 temos filmes promissores, ver Antevisão), que são verdadeiras excepções. Apresento de seguida, 15 filmes que considero serem os melhores de Terror/Suspense da década de 2000 (não estão necessariamente por ordem).


REC (2007)



"REC" estreou em 2007 e revolucionou, sem dúvida, o género. Antes de mais nunca se pensou que um filme espanhol tivesse tanto sucesso como "REC" teve (até houve um remake americano, "Quarantine"). Apesar do estilo de câmara particular, "REC" consegue sempre manter-nos colados ao ecrã.

A repórter Angela Vidal e Pablo seguem uma equipa de bombeiros, quando estes recebem uma chamada vinda de um prédio, para ajudar uma velha senhora. Quando chegam ao local, apercebem-se que se trata de uma espécie de vírus contagioso, que tem uns efeitos secundários aterradores. O que de início era uma inocente reportagem, depressa se torna um inacabável pesadelo.

Crítica: Brevemente
Trailer:



The Ring (2002)



A primeira vez que vi "The Ring", tinha eu os meus 11 aninhos de idade, e foi na biblioteca da escola. Achei-o aterrador na altura. Apesar de agora não o considerar muito assustador, não perdeu o factor suspense que nos envolve durante o filme todo. "The Ring" tornou-se o primeiro "remake" de um filme asiático a ser tão bem sucedido, e tornou-se icónico devido à personagem Samara (aquela cara de anjinho não engana ninguém...). Não vejo a necessidade de me debruçar sobre o argumento, que decerto já é bastante conhecido, apenas sei que a frase "morrerás dentro de 7 dias" tornou-se um fenómeno de culto instantâneo.

Crítica: Brevemente
Trailer:




Shaun of the Dead (2004)



Habitualmente referido como uma comédia britânica de zombies, "Shaun of the Dead" também tem a sua pequena dose de terror. O horror vivido é abordado de uma maneira inteligente e hilariante, fazendo "Shaun of the Dead" dos filmes mais geniais da década.
O filme relata a história de Shaun, com uma vida extremamente monótona e aborrecida, que, quando decide fazer algo em relação a isso, depara-se com um pequeno problema que lhe poderá trazer algumas dificuldades: os mortos decidem voltar à vida, e esfomeados. Shaun terá que se tornar num herói para conseguir salvar toda a gente que gosta.
É imperdível. Se ainda não viram o filme, parem imediatamente o que estão a fazer, e vão vê-lo.

Crítica:
http://depoisdocinema.blogspot.com/2010/04/shaun-of-dead-2004.html
Trailer:




Drag Me to Hell (2009)



"Drag Me to Hell" foi a derradeira surpresa de filmes de terror de 2009.
Christine Brown é uma agente financeira que vive uma vida feliz com o seu namorado, mas anseia ter uma promoção no trabalho. Para impressionar o seu chefe, nega o pedido de empréstimo a uma velha e doente cigana chamada Sylvia Ganush, fazendo com que esta perca a sua casa. Esta decide vingar-se e lança uma maldição a Christine, condenando-a a 3 dias de verdadeiro terror. Acontece que, se no prazo de 3 dias, Christine não arranjar maneira de acabar com a maldição, é literalmente arrastada para o inferno.
É o verdadeiro "ressuscitar" dos filmes do género com argumentos originais, e aconselho vivamente a vê-lo!

Crítica:
http://depoisdocinema.blogspot.com/2010/04/drag-me-to-hell-2009_11.html
Trailer:




SAW (2004)



Sem sombra de dúvida que o primeiro filme da saga SAW é icónico. Bastante inovador, centra-se na história de dois homens, um médico e um fotógrafo, que se vêem presos na armadilha do "Jigsaw", que pune as pessoas que não dão valor à vida.
É o primeiro filme de seis, mas sem dúvida que SAW I destaca-se dos restantes, pois apesar de ser low-budget, tem uma premissa fantástica.

Crítica: Brevemente
Trailer:




The Others (2001)



"Os Outros" é um filme protagonizado por Nicole Kidman, que é intrigante de início ao fim, e não desiludirá os mais exigentes.
O filme decorre durante a Segunda Guerra Mundial. Grace (Nicole Kidman) e os seus 2 filhos, mudam-se para uma casa, esperando que o marido volte da guerra. Os seus dois filhos sofrem de uma doença misteriosa. Três novos empregados são contratados para substituir os anteriores, que desapareceram misteriosamente, e precisam aprender regras importantes: a casa tem de estar sempre escura, nunca se deve abrir uma porta antes de fechar a anterior, entre outras. Mas estas regras são quebradas, ao mesmo tempo em que eventos assustadores e sobrenaturais começam a acontecer.

Crítica:
http://depoisdocinema.blogspot.com/2011/03/others-2001_08.html
Trailer:





The Mist (2007)



"The Mist" é um filme baseado na obra de Stephen King.
Após uma violenta tempestade arrasar a cidade de Maine, David Drayton e o seu filho de 8 anos correm para o supermercado, antes que os mantimentos se esgotem. Porém, um misterioso nevoeiro instala-se da cidade, deixando David e um grupo de pessoas presas no supermercado. David rapidamente se apercebe que o nevoeiro esconde algo sobrenatural e que sair do mercado pode ser mortal.

Crítica:
http://depoisdocinema.blogspot.com/2009/01/mist-2007.html
Trailer:




1408 (2007)



Adoro o John Cusack e penso que esteja fantástico neste filme. É um filme bastante bom porque, apesar de não contarmos com muitos sustos, consegue ser verdadeiramente aterrador, devido ao seu carácter claustrofóbico.
Mike Enslin (John Cusack),é um escritor de fenómenos sobrenaturais. Porém, nunca presenciou realmente algum desses fenómenos, ficando cada vez mais complicado tornar-se credível. Por conseguinte, decide ir até Nova York e hospedar-se no Dolphin Hotel, mais exactamente no famoso quarto 1408. O gerente do hotel, Gerald Olin (Samuel L. Jackson),avisa-o que 56 mortes já ocorreram nesse quarto, mas Mike está determinado a verificar por si próprio.

Crítica: http://depoisdocinema.blogspot.com/2010/04/1408-2007.html
Trailer:





Ju-On - The Grudge (2002)



A saga "Ju-On" é capaz de ser dos filmes mais assustadores que já vi, pelo menos na altura. "Ju-On" é o filme que originou os remakes americanos "The Grudge". A história é sobre uma maldição, a qual diz que quando uma pessoa morre num momento de extremo ódio, uma maldição nasce, tomando a forma das vítimas, assombrando e matando qualquer um que entre em contacto com ela. Nestes filmes seguimos os fantasmas vingativos de Kayako e Toshio Saeki.
Quem nunca viu este filme não pode dizer que é fã de terror japonês.

Crítica:
http://depoisdocinema.blogspot.com/2010/04/ju-on-1-e-2-2002-e-2003.html
Trailer:




The Strangers (2008)



"The Strangers" conta a história de Kristen McKay e James Hoyt que, vão de férias para um lugar isolado fora da cidade, e apercebem-se que algo de muito estranho se passa. São aterrorizados por três "estranhos", e o casal terá de fazer de tudo para sobreviver.
Simplesmente aterrador, com um final brilhante.

Crítica: Brevemente
Trailer:




28 days later (2002)



"28 dias depois" debruça-se sobre um vírus provocador de uma fatal epidemia e que, em 28 dias apenas, propaga-se de tal maneira que se alastrou por todo o país. Apenas um pequeno grupo de pessoas consegue escapar e vai ter que dar tudo por tudo para conseguir salvar o resto do mundo. No entanto, o vírus não é a única ameaça com que se deparam.
Este filme junta vários elementos que nos proporcionam um grande entretenimento: acção, zombies e sustos. A não perder.

Crítica:
Brevemente
Trailer:




The Descent (2005)



"A Descida" é um filme de puro terror com um ambiente absolutamente claustrofóbico! Quando 6 amigas se reencontram para a sua aventura anual nas montanhas remotas dos Apalaches e decidem entrar numas grutas, deparam-se com um cenário pouco animador: não só uma rocha bloqueia o único local que as poderia conduzir de volta à superfície, como também verificam que não estão sozinhas...
Filme obrigatório para quem consegue suster a respiração... durante o filme inteiro.

Crítica:
Brevemente
Trailer:




A Tale of Two Sisters (2003)



Apesar de ser suspeita para falar, visto que sou fã do cinema asiático, este filme simplesmente tinha que constar nesta lista. O filme "Os indesejados" é o remake desta obra prima. Claro está que, não lhe faz justiça.
"A história de duas irmãs" gira em torno de duas irmãs que regressam a casa, após terem estado numa instituição mental, encontrando o pai e a madrasta. As irmãs começam a sentir algo de estranho em relação à madrasta e ao mesmo tempo, começam a surgir estranhas aparições e fenómenos sobrenaturais na casa.
Não me vou pronunciar mais sobre o argumento para evitar estragar alguma coisa aquando o vosso visionamento do filme.

Crítica:
http://depoisdocinema.blogspot.com/2011/02/tale-of-two-sisters-2003.html
Trailer:




Let the right one in (2008)



"Deixa-me entrar" é um filme de terror romântico "made in" Suécia.
O filme conta-nos a história de Oskar, um rapaz de 12 anos de idade que, atormentado pelos seus colegas da escola, sonha em vingar-se dos mesmos. Entretanto, conhece Eli, por quem se apaixona. A sua nova vizinha esconde um segredo: é uma vampira que o motiva a lutar contra seus opressores.
Dos melhores do género, vampírico, é uma história tocante que vale a pena verificar.

Crítica:
Brevemente
Trailer:



E então? Concordam com esta lista de filmes? Partilhem connosco a vossa opinião!


por Sara Queiroz